Assine Já
segunda, 29 de novembro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53491 Óbitos: 2186
Confirmados Óbitos
Araruama 12497 447
Armação dos Búzios 6580 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15408 901
Iguaba Grande 5564 147
São Pedro da Aldeia 7047 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Discussão de gênero opõe vereadores em Cabo Frio

Permissão e proibição de uso de banheiros de acordo com identidade tramitam em projetos na Câmara

24 setembro 2019 - 21h13Por Rodrigo Branco
Discussão de gênero opõe vereadores em Cabo Frio

Dois projetos de lei que tratam do uso de banheiros de acordo com a identidade de gênero entraram na pauta da sessão de ontem da Câmara de Cabo Frio e foram enviadas para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pela Mesa Diretora.

As matérias são opostas. O projeto de lei nº 242/2019, do vereador Vaguinho Simão (PPS), proíbe o uso de banheiros, vestiários e demais espaços segregados  de acordo com a identidade de gênero, nas escolas públicas e privadas de ensino básico.

Por sua vez, a vereadora Letícia Jotta apresentou o projeto nº 252/2019, que garante o uso de banheiros  nos órgãos públicos, de acordo com a identidade de gênero declarada independentemente do registro civil, exceto nas escolas.

Com a assistência repleta de ativistas LBGTQI, apenas Letícia discursou. A parlamentar afirmou que, ao entrar na Câmara, teve que ‘rever algumas convicções’, mas que, pela condição de vereadora, tem o dever de ‘legislar para todos’.

– Luto contra qualquer tipo de preconceito e o meu gabinete é para todos. Quando me propus a ser vereadora, foi para legislar para todos. E quando a gente legisla para todos, tem que entender o sofrimento e a agonia de alguns, que são discriminados por muitos. e eu não vou participar disso – afirmou.

Vaguinho não falou na tribuna, mas respondeu ao questionamento da reportagem sobre o motivo por ter proposto a lei. Ele já havia exposto o projeto nas redes sociais, onde recebeu inúmeras críticas, mas também manifestações de apoio. Vaguinho disse ser contra a ‘ideologia de gênero’ e sua discussão no âmbito da educação. 

Ele citou recente parecer favorável da ex-procuradora-geral da República Raquel Dodge para incluir o combate à discriminação de gênero no Plano Nacional de Educação. Aomesmo tempo, também mencionou a retirada da discussão do Plano Municipal de Educação pela Câmara, na legislatura anterior, em 2015.

– Como essa Câmara já se posicionou contrário ao tema, e sabendo que um dos argumento da (ex) procuradora foi que havia omissão do Legislativo sobre este assunto, o projeto além de proteger as crianças, visa a dar uma resposta do Legislativo cabofriense – argumentou.

O único vereador a falar do assunto na sessão, além de Letícia, foi Rafael Peçanha (PDT). Ele manifestou apoio ao projeto da colega e lembrou do histórico recente de decisões favoráveis contra a proibição de sanitários por transexuais, que manifestarem determinada identidade de gênero.
Apesar disso, Letícia conseguiu apenas quatro assinaturas de colegas (eram necessárias seis) e, por isso, não conseguiu votar o projeto em urgência.
Nas redes sociais, o Grupo Iguais, da causa LGBTQI, criticou a iniciativa de Vaguinho, sem citá-lo. 

– É importante sempre deixar claro que ‘ideologia do gênero’ não existe. Ninguém quer impor orientação sexual, nem identidade de gênero a ninguém, a gente só quer respeito e informação. Informação e conhecimento salvam vidas – disse trecho da nota.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698. *Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.