Assine Já
segunda, 06 de julho de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
17ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 272 585 40
Armação dos Búzios X 256 6
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 954 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 24 465 16
Saquarema 17 484 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
Supervisão

Depois da pressão contra parlamentares, união por salários

Frente suprapartidária se movimenta para garantir vencimentos atrasados e 13º salário de servidores de Cabo Frio

13 dezembro 2015 - 09h26Por Rodrigo Branco

A pressão popular junto aos vereadores de Cabo Frio co­meça a surtir efeito. Depois de terem sido ostensivamente co­brados nas sessões da última semana, os parlamentares co­meçam a se movimentar para buscar solução para os proble­mas vividos pelo funcionalismo municipal, como os constantes atrasos salariais e o corte de gratificações, horas-extras e adicionais.

Pelo que a Folha pode apurar nos bastidores da Câmara, desta vez, a articulação não se restrin­ge ao bloco de oposição lidera­do pelo vereador Aquiles Barre­to (SD), que normalmente conta com o apoio de Celso Campis­ta (PSB) e mais recentemente, com a adesão de Adriano More­no (Rede Sustentabilidade).

A proposta de pressionar o governo a pagar os vencimen­tos atrasados já conta com a simpatia de outros dez parla­mentares, de uma ala conside­rada ‘independente’ formada por Braz Enfermeiro (PMDB), Eduardo Kita (PT), Emanoel Fernandes (Pros), Fred (PDT), Jefferson Vidal (PSC), Zé Ri­cardo (PMDB), Luis Geraldo Simas (PPS), Ricardo Martins (SD), Rodolfo Machado (SD) e Vanderlei Bento (PSDB).

A princípio, as conversas não envolvem a ‘tropa de cho­que’ governista formada pelo clã Corrêa – o presidente da Mesa Diretora, Marcello (PP); Vinícius (PP) e Paulo Henrique (PR) – e pelo líder do governo na Casa, Taylor Jasmin (PRB).

A união suprapartidária po­deria abrir caminho para outras investidas conjuntas como, por exemplo, a revogação do de­creto nº 5.441, baixado no fim de setembro pelo prefeito Alair Corrêa (PP). Entre outras me­didas, o documento suspende o pagamento de direitos traba­lhistas como adicional noturno e insalubridade.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa deste fim de semana