Assine Já
segunda, 21 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Fórum de Cultura

Definição sobre Fórum de Cultura será nesta quinta (30)

Reunião aconteceria no último sábado, mas foi adiado por divergências entre participantes

29 março 2017 - 09h26Por Rodrigo Branco | Foto: Arquivo Folha
Definição sobre Fórum de Cultura será nesta quinta (30)

Foco de polêmica junto à comunidade artística há meses, o Fórum de Cultura de Cabo Frio não tem data para acontecer. Antes marcado para o último sábado, durante a Semana Teixeira e Sousa, o encontro foi adiado pela Secretaria de Cultura, por conta de divergências entre simpatizantes e opositores às propostas do governo. Na ocasião, também seria discutido o novo e controverso plano municipal da área. Uma reunião para ouvir os agentes culturais e definir os procedimentos para o fórum está marcada para amanhã, às 17 horas, no Charitas.

– Houve falta de consenso (no sábado). Na verdade virou baderna e nós não vamos compactuar com baderna nem com baderneiros – disse Chopinho.

O secretário também explicou que o Conselho de Cultura deverá ser formado durante o fórum. Chopinho diz que por conta da falta de transição com o governo anterior e pela falta de acesso a alguns documentos, houve atraso no processo.

Revogação de Plano na Câmara gera discórdia

Em fevereiro, a Câmara arquivou por 13 votos a 1 – com voto em peso da bancada governista – o plano municipal para o setor aprovado no ano passado pelo Conselho Municipal.

Relator da matéria no Legislativo, o líder do governo Miguel Alencar (PPS) alegou que o antigo plano estava ‘defasado’ e ‘fora da realidade’ do município.
A atitude dos vereadores e as justificativas de Alencar irritaram considerável parcela dos artistas. Entre outras críticas, o governo foi acusado de querer aprovar um novo plano às pressas e, com isso, beneficiar-se politicamente.