Assine Já
sexta, 25 de setembro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8032 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1614 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 241 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1309 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Câmara

Da teoria para a prática

Vereadores se queixam da não aplicação das leis aprovadas na Câmara

05 agosto 2015 - 08h00

Rodrigo Branco

 

Na mira da opinião pública em meio às recentes críticas em função de uma suposta passivi­dade frente aos problemas da cidade e pela participação em eventos do Executivo no horário das sessões, caso da entrega de cestas básicas no Manoel Corrêa há duas semanas, o Legislativo cabofriense resolveu se defen­der. E o fez atacando.

Fazendo coro ao discurso do pastor evangélico Fabricio Va­ladares, que ontem foi home­nageado com o recebimento de moção de aplauso em nome do Conselho de Pastores, o verea­dor Luis Geraldo (PPS), crítico ferrenho da falta de utilidade de muitas leis aprovadas na Casa, foi mais uma vez incisivo sobre o tema, da mesma forma como já havia feito em recente entre­vista à Folha para a série ‘Na tribuna’, publicada em julho.

Na ocasião, o parlamentar re­clamou que seus colegas sequer recebem resposta dos proje­tos, indicações e requerimentos aprovados. Sob aplausos, ele co­brou uma solução do Executivo.

– Digo sem medo de errar que se metade das leis aprova­das aqui estivesse funcionando no município, nós estaríamos com uma população muito mais satisfeita e muito mais digna. Faço um apelo para que nossas leis sejam olhadas com mais ca­rinho, sejam colocadas em prá­tica, tratadas e observadas pelo Executivo com mais cuidado – pede o vereador, que culpa o fato pela imagem da Casa de ‘apenas mudar nome de rua e dar moção de aplausos’.

Após um tempo afastado da tribuna, o líder do Governo, Taylor Jasmin (PRB) também falou sobre assunto e admitiu que os vereadores cabofrienses precisam intensificar a fiscali­zação das leis, sejam as de res­ponsabilidade do Executivo ou de estabelecimentos comerciais.

No entanto, sem mencionar nomes, mas em claro recado ao oposicionista Aquiles Barreto (SD), que criticou duramente a participação de parlamentares da base de apoio durante a entrega das cestas no mesmo dia em que a sessão foi cancelada por falta de quórum, Taylor respondeu ao colega na mesma moeda.

– Ficar criticando os outros dizendo que ele é o correto e os outros não trabalham, botando pra baixo o próprio vereador da Câmara, é muito ruim – disparou.

Por sua vez, Eduardo Kita (PT) e Adriano Moreno (PP) mostraram preocupação sobre o preço e a qualidade dos combus­tíveis nos postos da cidade.