Assine Já
segunda, 20 de setembro de 2021
Região dos Lagos
26ºmax
20ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 50688 Óbitos: 2057
Confirmados Óbitos
Araruama 12158 430
Armação dos Búzios 6182 64
Arraial do Cabo 1680 90
Cabo Frio 14015 822
Iguaba Grande 5355 134
São Pedro da Aldeia 6830 284
Saquarema 4468 233
Últimas notícias sobre a COVID-19
andré granado

​Crise não paralisa as obras em Armação dos Búzios

Apesar de “cortes na carne”, André Granado anuncia novos investimentos 

27 maio 2016 - 10h48

Pelo menos 30 obras serão entregues à população de Armação dos Búzios até o fim do ano, anunciou o prefeito André Granado (PMDB). Ao contrário da agonia vivida pela prefeitura de Cabo Frio, no município vizinho o ajuste tem sido suficiente para frear os efeitos da redução da receita. Mas foram reduzidos contratos e os salários estão congelados desde 2014. A Olimpíada, segundo o prefeito buziano, vai incrementar o turismo e, na política, anunciou que o vereador Henrique Gomes (PP) será o seu candidato a vice. A entrevista:

Folha - Como a prefeitura está enfrentando a crise?

André Granado – Na prefeitura de Búzios cortamos na carne, reduzimos salários, reduzimos contratos, otimizamos serviços, reduzimos frota, limitamos gastos com combustível readequando todo custeio para não cortar investimentos.

Folha - Apesar do momento, a prefeitura continua com obras e outros investimentos. Como isso é possível?

André – Estamos realizando muitas obras por termos parcerias construídas antes da crise, por termos atualizado o valor do IPTU, por termos feito um REFIS, o que aumentou a arrecadação própria. Com isso, podemos continuar investindo.

Folha – Foi preciso demitir?

André – Em Búzios, para evitarmos demissões, optamos em reduzir todos os salários dos cargos de confiança e contratados e estamos com os salários congelados desde 2014

Folha – Buzios também espera pela chamada antecipação dos royalties?

André – Sim, Búzios poderá precisar da antecipação dos royalties para garantir mais investimentos.

Folha – Como vêm se comportando os royalties?

André – Os royalties vêm sofrendo queda livre. Portanto, esta receita comprometeu significativamente a arrecadação. Por isso, temos que buscar aumentar a arrecadação própria para mantermos os serviços funcionando sem comprometer a qualidade, eficiência e manter os investimentos.

Folha – E a dívida ativa?

André – A divida ativa está sendo cobrada, inclusive com protestos em cartório; ano passado fizemos um REFIS, que deu resultado. Porém, este ano, por ser ano eleitoral, não podemos  conceder descontos.

*Leia a entrevista completa na edição impressa da Folha dos Lagos desta sexta-feira (27).