Assine Já
domingo, 24 de outubro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Política

CPI da Câmara quer ouvir vice-prefeito

Serginho Carvalho era titular da Assistência Social na época de possíveis irregularidades

20 setembro 2019 - 19h46Por Rodrigo Branco
CPI da Câmara quer ouvir vice-prefeito

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal de Arraial do Cabo, que apura possíveis irregularidades em contratos de fornecimento de cestas básicas e de gêneros alimentícios pela Secretaria de Assistência Social,  vai convocar para depor o vice-prefeito Serginho Carvalho (PHS), titular da pasta à época das supostas fraudes em licitações, entre 2017 e 2018.

A CPI quer saber do vice-prefeito informações que ajudem a esclarecer denúncias feitas pelo próprio Serginho ao Ministério Público e à Polícia Civil, que resultaram na Operação Ressurgência, em dezembro do ano passado. Uma notificação também foi enviada para a Prefeitura de Arraial do Cabo.
– Já oficiei a prefeitura para mandar as informações desses processos. O  próximo passo é notificar o vice-prefeito. Ele era o secretário, estava na responsabilidade dele. Ele coordenava o Fundo de Assistência Social, então era o ordenador de despesas. Se encontrarmos alguma irregularidade, tem as possíveis sanções, como a suspensão do mandato. O que vai dizer é o processo investigatório. A CPI é um instrumento de investigação; o relatório vai ser apresentado no plenário, que vai decidir o que fazer diante dele – explica o presidente da CPI, vereador Willian Luz (PT).

A CPI foi aprovada na Câmara na última semana e também conta com os vereadores Aryzinho Vianna (PV), na relatoria, e Luciano Tequinho (PPS).
As chamadas feitas para o vice-prefeito Serginho Carvalho não foram atendidas ou o telefone estava fora da área de cobertura.

A reportagem também pediu um posicionamento da Prefeitura de Arraial do Cabo sobre a questão, mas não houve resposta até o fechamento desta edição. 

Ressurgência – Em matéria publicada em 18 de dezembro do ano passado, data da Operação Ressurgência do MP, da Polícia Civil e do Tribunal de Contas (TCE-RJ), o promotor de Justiça Marcelo Arsenio afirmou que a ação teve início a partir de denúncias de corrupção feitas pelo vice-prefeito Serginho Carvalho, que acabou exonerado em outubro do ano passado, rompido politicamente com o prefeito Renatinho Vianna (PRB).

Apesar do objeto da CPI ser apenas os contratos referentes à Assistência Social, as denúncias do vice-prefeito levaram a investigações do MP que apontam irregularidades em contratos firmados pelas secretarias de Serviços Públicos, Educação, Cultura, Assistência Social, Administração e Compras, da ordem de R$ 7 milhões.

O suposto esquema de fraudes em licitações envolveria funcionários públicos e empresários ‘laranjas’. 

Entre os principais indícios de irregularidades estão o fato de empresas com pouco tempo de fundação conseguirem contratos milionários com a prefeitura e a existência de sócios dessas empresas sem capacidade financeira para tal, mas com relação com funcionários ou ex-funcionários da prefeitura. À época, a prefeitura disse que colaboraria com as investigações e que a transparência era uma “das marcas do governo”, por meio de transmissões de licitação e pregões on-line.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698. *Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.