Assine Já
sexta, 23 de abril de 2021
Região dos Lagos
26ºmax
17ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 34272 Óbitos: 1287
Confirmados Óbitos
Araruama 8721 280
Armação dos Búzios 4128 55
Arraial do Cabo 1200 64
Cabo Frio 9281 462
Iguaba Grande 3367 85
São Pedro da Aldeia 4763 188
Saquarema 2812 153
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Corte salarial não assusta antigos subprefeitos

 Para conter despesas, administradores regionais terão vencimentos reduzidos em 20%

19 outubro 2015 - 10h15

Pelo menos no discurso afinado, os antigos subprefeitos parecem não se importar com as últimas medidas de contenção de despesas propostas pelo prefeito Alair Cor­rêa (PP), na tentativa de equilibrar receitas e despesas. Aparentemen­te demonstrando compreensão, os agora agentes administrativos de bairro terão que conviver com uma redução salarial de 20%, o que re­prsenta uma queda dos antigos R$ 4 mil líquidos para R$ 3.200. Os administradores regionais, no entanto, negam que as subprefeituras serão extintas e que a população será afetada pelos cortes.

– Nossa subprefeitura, diferente das outras, não apenas anota a recla­mação dos moradores e as repassa para as secretarias. Nós resolvemos alguns problemas como de ilumi­nação por conta própria – afirma o gestor responsável pela Praia do Siqueira, Sostino João Fernandes dos Santos.

Teninho, como é conhecido, dis­se ainda que esse é o segundo corte em 20% que receberá no salário, que este mês ainda não foi pago, assim como os demais comissionados, mas ele garante que, apesar disso, não vai passar aperto.

– Não dependo da Prefeitura, pois tinha uma empresa e sobrevi­vo de imóveis que tenho alugados. Sei que o prefeito está precisando e como estou num cargo de confian­ça, vou com ele até o fim – disse.

A mesma fidelidade foi demons­trada pelo colega responsável pela região do Jardim Esperança, Aris­teu Campanati. Para ele o momento ‘é de sacrifício’.

– Eu estou aí para colaborar. Vi­vemos essa crise na nossa própria vida particular e não apenas em Cabo Frio. Tendo um salário como o que eu tenho, é só economizar e adequar o orçamento doméstico para não ter problema – diz Aristeu, que admite que o fato de o cami­nhão de limpeza de fossas, que pas­sava diariamente, não realizar mais o serviço tem feito falta no bairro.

Evasivo de início, o agora agen­te administrativo do distrito de Ta­moios, César Pinho, disse as ‘me­didas são necessárias’.

– É duro perder parte do salário, mas nós que estamos no Governo temos que dar a nossa contribuição para que o prefeito possa fazer o melhor pela nossa cidade – sentenciou Pinho.