Assine Já
sábado, 05 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
26ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 13221 Óbitos: 567
Confirmados Óbitos
Araruama 2625 126
Armação dos Búzios 1500 22
Arraial do Cabo 427 21
Cabo Frio 3925 183
Iguaba Grande 1197 41
São Pedro da Aldeia 2010 79
Saquarema 1537 95
Últimas notícias sobre a COVID-19
suspensão

Convocação suspensa de concursados da Câmara de Búzios gera polêmica

Presidente da Associação de Servidores critica decisão: "um inegável retrocesso"

13 janeiro 2017 - 10h42Por Filipe Rangel | foto: Reprodução
Convocação suspensa de concursados da Câmara de Búzios gera polêmica

Servidores prometem resistir à decisão controversa dos vereadores

Marcos Santos, presidente do Sindicato do Servidor Municipal de Armação dos Búzios (Asfab), está indignado com a decisão tomada pela Câmara Municipal de suspender a convocação de concursados aprovados para a Casa. Os votos de cinco vereadores (Adiel, Gladys, Josué Pereira, Valmir Nobre e Cacalho) aprovaram a medida, que, segundo Santos, enfrentará resistência dos servidores, inclusive na Justiça, se necessário.

Folha dos Lagos – Como a Asfab entende a decisão da Câmara que anula a convocação dos concursados?
Marcos Santos –
Em primeiro lugar, por motivo de justiça, vale ressaltar que a hostilidade contra os concursados não é da Câmara como um todo, mas é de um grupo de cinco vereadores, pois eles mesmos já haviam tentado barrar os concursados duas vezes na Justiça. É inegável que se trata de um enorme retrocesso, uma relutância em abandonar certos padrões de conduta política que já não têm cabimento no momento histórico em que vivemos, com a sociedade cada vez mais atenta aos seus direitos e forçada a fazer sacrifícios em decorrência da crise econômica. Infelizmente, numa única manobra, cinco vereadores conseguiram renegar todos os princípios que orientam a administração pública e ainda lesionar o direito de vinte cidadãos que chegaram a ser aprovados e nomeados com mérito pessoal, não por apadrinhamento. Por isso talvez a relutância contra os concursados.

Folha – E o que a entidade pretende fazer a respeito?
Marcos –
A entidade vem acompanhando de perto o caso, através de seus diretores e de seu advogado. Inclusive, o nosso jurídico está à disposição para avaliar e orientar medidas judiciais individuais cabíveis. São estudadas também outras medidas que preferimos reservar, por questão de estratégia jurídica.

Folha – Já houve conversa com os vereadores?
Marcos –
No que foi possível, fizemos de tudo para contatar um a um do grupo dos cinco, mas a velocidade com que se deram os fatos está aí para provar que a decisão estava orquestrada e consolidada bem antes de vir a público. Entendemos que esta pressa poderá depor contra essas decisões errôneas futuramente.

Folha – A Folha recebeu informações de que candidatos aprovados tiveram gastos com exames e documentos para estarem aptos a assumir a vaga. Eles serão ressarcidos de alguma forma? Como vai ficar isso?
Marcos –
Olha, acreditamos piamente que é possível reverter as manobras imorais praticadas na Câmara contra os concursados. Nesse caso, o dinheiro que gastaram terá sido bem empregado. Do contrário, em caso de o concursado desistir de pleitear ou não obtiver ganho em juízo, pode-se ingressar processo administrativo e com ação judicial específica, para reverter os danos materiais. Mas temos esperança nas possibilidades de que a Justiça reconheça o direito deles. Apoiaremos nas ações que forem cabíveis aqui na Comarca.