Assine Já
sábado, 19 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
contas

Contas de André Granado serão votadas em um mês

Em maioria, oposição vai tentar vetar balanço financeiro de 2015

17 março 2017 - 07h35Por Texto: Rodrigo Branco | Foto: Arquivo Folha
Contas de André Granado serão votadas em um mês

As contas de 2015 do prefeito de Armação dos Búzios, André Granado (PMDB), estão na Co­missão de Orçamento da Câma­ra Municipal e devem ser vota­das em cerca de um mês. Com a minoria dos vereadores na Casa (quatro dos nove), o governo precisa manter a base unida para não correr o risco de ver o ba­lanço financeiro ser reprovado e, deste modo, ficar inelegível, uma vez que segundo decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado, cabe agora ao Legislativo a análise dessas con­tas. Para conseguir o objetivo, a oposição precisa de dois terços (seis) dos votos possíveis.

O presidente da Câmara, João Carlos Alves de Souza, o Caca­lho (DEM), é opositor declarado do prefeito e deu o tom da insatisfação que existe hoje entre os legisladores, quase todos de primeiro mandato: “Vamos ba­talhar para conseguir esse voto que falta (para reprovar as con­tas), mas acho difícil”. A queda de braço entre os poderes não para por aí. A Justiça de Búzios acaba de deferir um mandado de segurança impetrado pela Câ­mara, que exige a apresentação de documentos e contratos nas áreas de Saúde e Educação algo que, segundo Cacalho, não vi­nha acontecendo. A multa diária em caso de descumprimento é de R$ 1 mil. A pressão sobre o Executivo é grande e secretários também têm sido constantemen­te convocados para dar esclare­cimentos. As últimas foram Dei­semar Gonçalves, da Educação, e Raquel Haddad, antiga respon­sável pela pasta.

– Estamos com uma grande dificuldade de fiscalizar pois a Prefeitura não tem transparência. Não envia as informações pedi­das. A gente está com muito tra­balho, mas pouco resultado por causa disso – reclama Cacalho.

Impeachment sem data para ser analisado – Outra fonte de dor de cabeça para o prefeito é o pedido de afastamento pro­tocolado na Câmara no último dia 6 pelo ex-vereador Manoel Eduardo da Silva, o Marreco. Cacalho afirma que os gabinetes de todos vereadores foram no­tificados, mas disse que não há prazo para que o processo seja levado adiante. Aliás, não há sequer a garantia de que isso vá realmente ocorrer. O presidente da Câmara pede cautela sobre o assunto.

– O pedido foi encaminhado à Procuradoria. Vamos analisar friamente e enviar um parecer. A gente não pode é ficar no meio de uma briga política. Se tiver base técnica, tudo bem, mas isso não pode ser usado com fins eleitorais – disse Cacalho, lembrando que o ex-vereador Marreco é aliado do ex-prefeito Mirinho Braga (PDT) e um dos principais adversários de André Granado.

A reportagem tentou entrar em contato com o prefeito para que ele comentasse as declara­ções do presidente da Câma­ra, mas ele cumpria agenda em Brasília e não foi localizado até o fechamento desta edição.