Assine Já
quinta, 06 de maio de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
16ºmin
http://www.alerj.rj.gov.br/
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 37036 Óbitos: 1405
Confirmados Óbitos
Araruama 9482 290
Armação dos Búzios 4582 57
Arraial do Cabo 1313 69
Cabo Frio 9818 517
Iguaba Grande 3712 91
São Pedro da Aldeia 5088 214
Saquarema 3041 167
Últimas notícias sobre a COVID-19
André

Com segurança reforçada, Julgamento de André Granado será retomado hoje

Prefeito tenta vitória na Câmara, após ser absolvido pelo TJ

23 agosto 2017 - 20h04
Com segurança reforçada, Julgamento de André Granado será retomado hoje

O prefeito de Búzios, André Granado (PMDB) ganhou um gás para o reinício do julgamento do processo de impeachment de André Granado (PMDB) na Câmara Municipal. A defesa do prefeito obteve uma importante vitória por 3 a 0 no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

O processo, proposto pelo Ministério Público, tem o mesmo objeto do que será julgado pelos vereadores nesta tarde, às 13h. Granado é acusado de irregularidades em licitações entre maio e julho de 2013, ainda no seu primeiro mandato. A falta de publicidade dos pregões deu origem, em 2014, à CPI do B.O.

Para o advogado do prefeito, Sérgio Azevedo, a vitória é mais um argumento para a defesa na sessão desta tarde.

– É um processo que o Ministério Público propôs e que tem o mesmo objeto do processo de impeachment. A gente espera que a Câmara de Búzios estabeleça um critério como o Tribunal de Justiça fez. Nós demonstramos que a decisão do magistrado de primeira instância era ilegal. A gente sustentou que o prefeito não cometeu nenhum ilícito. Espero que a Câmara mantenha a vontade popular e estabeleça segurança nas relações institucionais entre o Executivo e o Legislativo – pondera.

A decisão ainda cabe recurso, mas Sérgio considera “dificílimo” revertê-la.

Após a vitória na batalha jurídica, a preocupação passa a ser na esfera política, com a retomada da sessão legislativa interrompida na segunda-feira, sob a alegação de falta de segurança dada pela Presidência da Casa. Na ocasião houve muito bate-boca e até um copo de açúcar arremessado pela vereadora Gladys Costa no advogado do prefeito, acusado de invadir o plenário.

Para evitar novos transtornos, o presidente João Carlos Alves de Souza, o Cacalho (DEM), pediu reforço da Guarda Municipal e da Polícia Militar. Ele admite contratar seguranças particulares para que o plenário tenha a capacidade máxima, de 90 lugares, respeitada. A sessão será transmitida ainda pela TV Legislativa e pelo Facebook da Câmara. Três televisões LCD serão disponibilizadas para quem quiser acompanhar do lado de fora do plenário. Se nada disso resolver, Cacalho admite adotar soluções drásticas.

– Amanhã (hoje), não tem como adiar (a decisão). Para um lado ou para o outro. Se a segurança não for suficiente, a próxima sessão será fechada à assistência e transmitida pela TV – ameaça.