Assine Já
quarta, 25 de novembro de 2020
Região dos Lagos
26ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11737 Óbitos: 538
Confirmados Óbitos
Araruama 2347 117
Armação dos Búzios 1060 16
Arraial do Cabo 364 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1069 40
São Pedro da Aldeia 1801 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
policia

Cancelamento de audiência pública sobre empréstimo vai parar na delegacia

Vereador Adriano Moreno bateu de cara na porta da Câmara Municipal de Cabo Frio e relatou o caso à Polícia

16 maio 2016 - 20h48Por Filipe Rangel
Cancelamento de audiência pública sobre empréstimo vai parar na delegacia

O vereador Adriano Moreno (Rede) foi à 126ª Delegacia de Polícia acompanhado de advogado e assessores para registrar a ocorrência (Gabriel Tinoco)

A audiência pública que debateria com a sociedade o empréstimo de R$ 200 milhões desejado pela Prefeitura de Cabo Frio foi por água abaixo. Programada para ontem à noite, o encontro não aconteceu e, segundo a organização, ligada ao partido Rede, cerca de sessenta pessoas deram com a cara na porta. Inconformados, os organizadores, capitaneados pelo vereador Adriano Moreno (Rede), foram à 126ª DP (Cabo Frio), registrar o ocorrido. O presidente da Casa, Marcello Corrêa, não será notificado, no entanto.

Pouco antes de ser chamado para depor, por volta das 20h de ontem, Adriano Moreno falou com a reportagem da Folha.

– Na quinta passada, protocolei um ofício e fiz uma solicitação verbal para fazer a audiência pública. Até confeccionei convites. É importante a transparência e a participação do povo numa questão como o empréstimo – reclamou o vereador.

O coordenador da Rede, Sérgio Ribamar, criticou frontalmente a decisão de manter a Câmara fechada, apesar da solicitação feita por Adriano.

– Não podemos permitir que a cidade seja um caso de família. O dono do município é a população. É incrível como a coisa pública é tratada em Cabo Frio. Precisamos registrar o que aconteceu para que nunca mais aconteça – pontuou.

A Folha tentou entrar em contato com o presidente da Câmara, Marcello Corrêa, mas não conseguiu retorno até o fechamento desta edição, às 21h.

Votação – Horas antes do imbróglio da audiência pública, houve reunião da Comissão de Constituição e Justiça, que avalia a constitucionalidade do empréstimo. Segundo o líder da oposição, Aquiles Barreto (SD), que participou da reunião, a comissão não emitiu parecer (e também não se posicionou oficialmente à imprensa) sobre o empréstimo.

– Houve somente a discussão para suprimir o artigo quarto do projeto, que é a questão das contrapartidas que o município deixaria como garantias. Uma próxima reunião foi marcada para quarta-feira – contou.

Sendo assim, Aquiles acredita que o projeto não entrará em votação amanhã, como era esperado. A expectativa agora é que a votação aconteça na quinta, se houver parecer da CCJ após a reunião de amanhã.