Assine Já
quarta, 23 de setembro de 2020
Região dos Lagos
21ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7914 Óbitos: 414
Confirmados Óbitos
Araruama 1580 102
Armação dos Búzios 474 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Lei Orgânica

Câmara aprova mudança na lei e abre caminho para antecipar eleição

Como na primeira votação, base governista se dividiu sobre pleito à Presidência

30 agosto 2017 - 10h03Por Texto e foto: Rodrigo Branco
Câmara aprova mudança na lei e abre caminho para antecipar eleição

A Câmara Municipal de Cabo Frio deu ontem à noite um passo decisivo para antecipar as eleições para a Presidência da Casa ao aprovar, em segunda votação, a alteração do artigo 22 da Lei Orgânica Municipal, que fixava a data do pleito no primeiro dia legislativo da segunda metade da legislatura, neste caso, na sessão inicial de 2019.

Assim como na primeira votação, ocorrida na quinta-feira retrasada, o placar foi de 12 votos favoráveis à flexibilização da data contra cinco contrários. Como naquela ocasião, os votos da base governista ficaram divididos. 

O resultado serviu para confirmar a coesão do chamado ‘grupo dos oito’, composto pelos vereadores Ricardo Martins (SD); Alexandra Codeço (PRB); Letícia Jotta (PSC); Jéfferson Vidal (PSC); Waguinho (PPS); Silvio Blau Blau (PSC); Adeir Novaes (PRB) e Edilan do Celular (PRP). Eles novamente tiveram a adesão da bancada de oposição, composta por Vanderlei Bento (PMB); Rafael Peçanha (PDT); Oséias de Tamoios (PDT) e Vinícius Corrêa (PP).
Foram contrários à alteração Miguel Alencar (PPS); Guilherme Moreira (PPS); Luis Geraldo (PRB); Rodolfo Machado (SD) e o atual presidente, Aquiles Barreto (SD).

Agora, resta o trabalho político de bastidores entre os interessados em antecipar o pleito e os contrários a isso. Embora o discurso seja de que não existe ‘racha’, a base aliada deve lançar mais de um nome: Luis Geraldo, considerado mais próximo do governo e, possivelmente, Waguinho, entre os ‘rebeldes’.