Assine Já
quarta, 27 de outubro de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52450 Óbitos: 2151
Confirmados Óbitos
Araruama 12382 441
Armação dos Búzios 6530 73
Arraial do Cabo 1736 93
Cabo Frio 14792 880
Iguaba Grande 5486 140
São Pedro da Aldeia 6993 289
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Política

​Caldeirão político já ferve em Cabo Frio

​Pré-candidatos já se movimentam em busca de apoios e alianças partidárias para eleições de 2020

12 agosto 2019 - 21h43Por Redação I Foto: divulgação
​Caldeirão político já ferve em Cabo Frio

A pouco mais de um ano do início da campanha em Cabo Frio, as articulações com vistas ao pleito municipal de 2020 estão a todo vapor. Muitos nomes que estão cotados como pré-candidatos não falam abertamente da pretensão; outros se assumem na posição, mas praticamente todos articulam-se nos bastidores na busca de apoios e alianças que ajudem a garantir mais tempo de TV e um maior número de palanques.
Pelo menos dois movimentos fizeram bastante barulho no tabuleiro de xadrez político-eleitoral cabofriense. No fim de semana, o prefeito Adriano Moreno assinou a ficha de filiação ao Democratas (DEM), em solenidade com a presença do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.
Antes reticente a assumir a condição de pré-candidato, o prefeito já admite para a Folha que será postulante à reeleição no ano que vem. A própria escolha por um partido de maior musculatura estadual e nacional confirma isso, apesar disso sinalizar de forma definitiva para um governo de orientação conservadora. Para completar, a Rede, seu antigo partido, não atingiu a cláusula de desempenho e ficou sem tempo de propaganda nem fundo partidário. 


A filiação teve as impressões digitais de assessores diretos, como o ex-secretário de Fazenda, Antônio Carlos Nascimento ‘Cati’ Vieira, e do coordenador de Eventos, Clóvis Barbosa, que controlam o DEM na cidade.


“Em um momento tão difícil, que a crise econômica prejudica milhões de brasileiros, creio que apenas a união entre pessoas que buscam dias melhores e que deixam o pessimismo no passado, fará nossa cidade, estado e país voltarem a crescer e se desenvolver”, postou Adriano em suas redes sociais.


Com dificuldade para fazer o governo decolar, o prefeito vê crescer a sombra dos adversários. Na semana passada, o deputado estadual Serginho Azevedo (PSL) conseguiu o apoio do PSC, partido até então controlado no município pelo vereador Jefferson Vidal. O acordo foi fechado ‘por cima’, isto é, após conversas com o governador Wilson Witzel e com o presidente nacional do partido, Pastor Everaldo, que foi candidato à Presidência da República no ano passado. De acordo com Serginho, seu arco de alianças já conta com siglas confirmadas e não deve parar por aí.


– A gente faz política o tempo todo. Em Cabo Frio, estamos irmanados com o PSC; com o PSDC; com o PL, que é o antigo PR; com o PRTB. E a gente continua conversando com as outras siglas. Se hoje, o PSC caminha com o PSL é por conta do governador e do Pastor Everaldo – disse Serginho.


Também pré-candidato assumido, Jefferson disse que prepara a saída do PSC, possivelmente para o Avante, que é um dos quatro partidos com os quais conversa no momento com vistas ao ano que vem. Ele afirma que 70 filiados ao PSC atualmente devem seguir o mesmo que ele, que pretende “fazer quatro vereadores”. Apesar do otimismo, ele não escondeu a mágoa e criticou a forma como aconteceu o acordo entre PSC e PSL.


– Ninguém gosta de perder, muito menos eu. Quando o governador ainda tinha apenas 1% nas pesquisas, eu fui o único vereador a apoiá-lo. Não houve briga na [Executiva] estadual e na nacional, só que o acordo foi golpe. Me chamaram para conversar, eu disse que não e tomaram a decisão – dispara.


Embora com vários quadros no governo Adriano, o grupo político do ex-prefeito Marquinho Mendes também se movimenta. Atualmente inelegível por decisão da Justiça e por reprovação de contas na Câmara, Marquinho insiste no discurso de que será candidato, à espera de uma liminar ou outro instrumento jurídico. Caso não consiga, os nomes apontados são os do presidente da Câmara, Luis Geraldo (PRB); do seu colega de Legislativo, Aquiles Barreto (SD) e até da mulher, Kamila Mendes.


No campo dito progressista, a expectativa é com relação ao movimento do vereador Rafael Peçanha, atualmente no PDT que, no entanto, deve lançar o ex-prefeito José Bonifácio. Embora não confirme a saída do partido, já cogitaram a ida de Rafael para outras siglas como PSB e PV. A reportagem tentou entrar em contato com ambos para questionar a respeito de uma possível aliança entre eles, mas Bonifácio estava em compromisso partidário no Rio e Peçanha, com o telefone desligado.


(*) O espaço do jornal está aberto para os pré-candidatos que quiserem entrar em contato e deixar explícita essa condição.