Assine Já
segunda, 28 de setembro de 2020
Região dos Lagos
35ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8312 Óbitos: 427
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 491 10
Arraial do Cabo 252 15
Cabo Frio 2757 145
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1180 68
Últimas notícias sobre a COVID-19
Alair

Alair Corrêa (PP) anuncia novas medidas

Pacote será o quarto; corte nas despesas será de até R$ 12 mi por mês

30 setembro 2015 - 09h16

NICIA CARVALHO

RODRIGO BRANCO

Um governo feito a anúncios. Assim pode ser classificado o quarto informe que será reali­zado pelo prefeito de Cabo Frio Alair Corrêa (PP) nesta quinta-feira (1) e que, mais uma vez, anunciará um pacote de mudanças para tentar conter os efeitos da crise na ci­dade por conta da queda na arre­cadação dos royalties, conforme alega a Prefeitura. Entre as me­didas, corte de até R$ 12 milhões ao mês nas despesas. Nesta terça (29), a assessoria do governo ainda não sabia informar o local, hora nem o formato do anúncio: se por facebook, vídeo ou entrevista coletiva com a imprensa.

– Você corta despesas basea­da numa receita imediata e de­pois essa receita cai mais ainda então aquilo que você cortou se tornou insuficiente pra manter o quadro geral da Prefeitura. Pre­cisamos eliminar de R$ 10 a R$ 12 milhões, na despesa mensal. Então, vai haver uma grita, natu­ralmente, que alguns vão perder nessa história. Mas é preciso que a população de CF se conscien­tize de que eu não corto nada de ninguém porque eu queira cor­tar, mas sim para salvar a cidade – explicou o prefeito durante en­trevista concedida a InterTV na noite da última segunda (28).

    

Apesar das mudanças, o Car­tão Dignidade, que estava amea­çado, deve ser mantido. No en­tanto, segundo informações, por enquanto por mais 30 dias. Este é o prazo accordado entre a Sa­lineira e a Prefeitura, depois de o Governo Municipal ter pago uma parte da dívida: do montan­te de R$ 8 milhões, o governo pagou R$ 1 milhão.

Em relação ao lixo, o prefeito afirmou que vai diminuir o nú­mero de máquinas e caminhões, assim, como a varrição e os dias de coleta. Na saúde, o alvo dos cortes serão as horas extras, que o prefeito classificou como “vantagens e privilégios”.

– Precisaremos cortar de mui­ta gente porque temos que baixar essa despesa. Eu corto porque não tem como pagar – justificou.

Segundo ele, os programas so­ciais serão mantidos, bem como toda a estrutura da educação e da Saúde. Sobre a antecipação dos royalties, Alair afirmou que o objetivo “é organizar a cidade para o turismo, para viver quase que exclusivamente das nossas receitas e para que em 2017 ela tenha vida própria porque o em­préstimo acaba e o petróleo não volta mais”.