Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8099 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 487 10
Arraial do Cabo 248 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
AGORA VAI?

Adriano promete pagar 13º da Educação nesta quarta (12)

Começo das aulas na rede municipal de ensino de Cabo Frio é apenas parcial

10 fevereiro 2020 - 20h08Por Rodrigo Branco
Adriano promete pagar 13º da Educação nesta quarta (12)

O prefeito de Cabo Frio, Adriano Moreno (DEM), prometeu que o décimo terceiro da Educação será quitado até esta quarta-feira (12). Em entrevista ao programa Sidnei Marinho, na Litoral News, o prefeito disse que metade dos pagamentos seria feita ainda ontem, num montante de cerca de R$ 6,5 milhões, segundo ele.

A data anteriormente estipulada para o pagamento da gratificação natalina do ano passado foi a desta segunda (10). Antes já havia o compromisso de depósito no dia 28, mas apenas parte dos efetivos recebeu. 
A coordenadora-geral do Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe Lagos), Cíntia Machado, afirmou que espera que, após tantas promessas não concretizadas, o compromisso firmado nesta segundapelo prefeito na TV não seja apenas da boca para fora.

– A gente tem esperança que saia (o décimo terceiro). Pensamos na Educação como um todo. Isso é importante para todos os profissionais voltem ao trabalho – disse a sindicalista.

A preocupação se deve, especialmente, em relação ao ano letivo de 2020, que começou nesta segunda, mas não para todas as escolas.

Em nota enviada à reportagem, a Secretaria de Educação informou que que “a maioria das escolas” de rede estava em funcionamento, nesta segunda, “tanto para o início das aulas de 2020, quanto para a reposição referente ao ano letivo de 2019”. No entanto, a pasta disse que só será possível saber o quantitativo exato das unidades em atividade após a conclusão do levantamento de funcionamento realizado nas 90 unidades.

A contagem do sindicato é diferente. De acordo com a direção da entidade, houve aulas em apenas “um terço” das escolas da rede.

Alheia à paralisação dos servidores, a secretaria de Educação faz a contratação emergencial dos servidores que estavam em serviço nas respectivas unidades até o último dia 31 de dezembro. Para a direção do Sepe, o assunto é tratado de duas formas diferentes.

– A gente entende que, ao fazer essas contratações, a prefeitura quer dar um ar de normalidade que não existe. Se tivesse mesmo essa preocupação com os alunos, não atrasaria os salários dos professores e faria a manutenção das unidades. O inchaço da folha  salarial também é uma preocupação recorrente, mas a gente entende a questão social. Não há emprego na cidade e há profissionais que estão trabalhando sob contrato há 10, 20 anos. A gente luta pelo concurso público, somos contrários a esse número de contratos, mas não contra os profissionais – concluiu Cíntia Machado. 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.