Assine Já
quarta, 30 de setembro de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8438 Óbitos: 437
Confirmados Óbitos
Araruama 1675 103
Armação dos Búzios 500 10
Arraial do Cabo 256 15
Cabo Frio 2775 149
Iguaba Grande 699 37
São Pedro da Aldeia 1353 54
Saquarema 1180 69
Últimas notícias sobre a COVID-19
Chico

Transferência de Chico da Ecatur é confirmada

Pai de Cadu Playboy está isolado em uma cela do presídio de segurança máxima

16 dezembro 2015 - 09h13Por Rodrigo Branco

Esperada há tempos pelo MP, a transferência do pai do trafican­te Cadu Playboy, Francisco Edu­ardo Freire Barboza, o Chico, foi confirmada ontem pela secretaria estadual de Administração Peni­tenciária. Chico, preso em janei­ro na primeira fase da Operação Dominação, da Polícia Federal e do Ministério Público, foi levado para uma cela isolada do presídio de segurança máxima Bangu 1, na Zona Oeste do Rio.

Chico é acusado de integrar junto com o filho uma quadrilha especializada em lavar dinhei­ro do tráfico de drogas e desviar recursos da prefeitura de Arraial do Cabo, no período em que foi presidente da Empresa Cabista de Desenvolvimento Urbano e Turismo (Ecatur).

A transferência para o comple­xo penitenciário de Gericinó era vista como fundamental pelas autoridades, uma vez que, segun­do o MP, Chico continuava a co­mandar o esquema, mesmo preso desde o início do ano.

– Ele recebia quem queria e quantas pessoas queria onde está (presídio Ary Franco, em Água Santa, Zona Norte do Rio). Agendava visitas e isso ficou muito claro. Ele marcava e le­vava autoridades municipais de Arraial para dentro da cela. Sem dúvida, ainda tinha voz muito ati­va nas decisões políticas da cida­de – disse o promotor do Grupo de Atenção Especial ao Crime Organizado (Gaeco), Marcelo Arsenio, em entrevista recente à Folha dos Lagos.

Contudo, a realidade daqui por diante promete ser muito di­ferente. Se os relatos do MP são de que Chico recebia quem que­ria na sua cela, pelo regime dis­ciplinar diferenciado, ao qual ele agora está submetido, as visitas são restritas a duas por semana. Criado em 2003, o RDD prevê que o preso seja mantido em cela individual 22 horas por dia, com banho de sol de duas horas diá­rias no máximo. Também não é permitido qualquer contato com o mundo externo. O regime tem duração de 360 dias, podendo ser prorrogado. A ideia é que depois de um tempo, Chico seja nova­mente transferido.