Assine Já
quarta, 23 de setembro de 2020
Região dos Lagos
21ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7914 Óbitos: 414
Confirmados Óbitos
Araruama 1580 102
Armação dos Búzios 474 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
esposa

"Tem PM que não tem dinheiro para comer"

Esposas e familiares dos policiais lamentam o caos da corporação

11 fevereiro 2017 - 10h49
"Tem PM que não tem dinheiro para comer"

Instaladas em frente ao portão do 25º Batalhão desde a noite de anteontem e sem previsão de quando vão sair, os manifestantes – em sua grande maioria esposas de policiais – fazem questão de gritar para quem quiser ouvir os problemas da corporação, que, segundo elas, chegaram a um nível insuportável. As queixas são muitas, mas a principal é o calote do Governo do Estado, que resultou despejos de PMs e falta de dinheiro para comprar comida.

– Dois PMs que conheço foram despejados. Nossas contas estão atrasadas. Tem amigo que está quase perdendo o carro financiado. Alguns têm que escolher entre comer ou pagar o IPVA – afirma uma delas, que, como todas, não quis se identificar.

Debaixo do forte sol, elas disseram que não há dia marcado para ir embora. Elas vão lutar até o fim para que situações como essa deixem de acontecer:

– Tem PM que não tem dinheiro para comprar comida. Não tem nem possibilidade de botar o combustível no carro.

Outra manifestante reclamou da insegurança do trabalho. Segundo ela, o marido sai para trabalhar sem saber se volta.

– Nós, familiares, amigos ou conhecidos dos policiais, passamos por insegurança todo dia. É um trabalho muito perigoso. Todos querem sempre os seus direitos, mas nunca o direito dos outros – questiona, defendendo o direito de greve dos policiais, que é negado pelo regimento militar que impera na corporação.

Uma das esposas não viu o marido receber mesmo após trabalhar por três dias seguidos.

– Durante as Olimpíadas, meu marido trabalhou três dias consecutivos e não recebeu por isso. O Regime Militar só pune o PM. O salário é a base da nossa manifestação. Mas não é só isso. Os policias enfrentam diariamente viatura com pneu careca, falta de munição... Tem PM empurrando viatura dentro de uma comunidade. Isso é absurdo – contesta ela, revoltada com o governo.