Assine Já
sábado, 23 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Polícia

Roubos disparam na região, aponta o ISP

Número de assaltos nos municípios da área do 25º BPM cresceu 67% desde 2015 

24 julho 2019 - 09h22
Roubos disparam na região, aponta o ISP

RODRIGO BRANCO

A Região dos Lagos fechou o primeiro semestre com 1.515 roubos, contando todas as modalidades do crime, de acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP), que acaba de fechar o relatório com os dados referentes a junho. O número é o maior em cinco anos e representa um aumento de 67% no período. Apenas no sexto mês do ano, foram registrados 262 assaltos nas delegacias dos sete municípios que compõem a 25ª Aisp (Área Integrada de Segurança Pública). O índice é um dos desafios a serem combatidos pelo novo comandante do 25º Batalhão da Polícia Militar (25º BPM), coronel Rodrigo Ibiapina, que assume o cargo hoje à tarde. 

Nos seis primeiros meses deste ano, houve aumento no número de casos de praticamente todos os principais tipos de roubo, mas os crimes praticados contra pedestres e as ocorrências envolvendo celulares foram os destaques negativos, conforme aponta o levantamento mensal feito pelo ISP. No primeiro caso, foram 723 registros de roubo a pedestres entre janeiro e junho deste ano contra 600 no mesmo período de 2018, o que significa um aumento de 20,5% de um ano para o outro. Em 2015, esse número era de 387. 

Já com relação aos roubos de celulares, o estudo aponta que, no primeiro semestre de 2019, 257 aparelhos foram levados por ladrões contra 158, entre janeiro e junho de 2018. Um acréscimo de 62,6% em doze meses. Também houve registros de roubos de veículos (192); a estabelecimentos comerciais (71); em residências (40); em ônibus (28) e de carga (23). Apenas em junho, foram totalizados 117 roubos a pedestres e 57 de celulares, além de 28 de veículos; 15 a estabelecimentos comerciais; oito em ônibus e residências e dois de carga.

Cidade mais populosa da região, Cabo Frio foi a responsável pelo maior volume de ocorrências de roubo. Na delegacia do município, a 126ª DP, vítimas fizeram 577 registros no primeiro semestre, contra 441 no mesmo período em 2018 (30,8% de aumento). Os casos de roubos a pedestres e de celulares na cidade passaram de 216 para 317 (aumento de 46,7%) e de 63 para 81 (aumento de 21,6%), respectivamente. 

Letalidade cai – Se os crimes contra o patrimônio tiveram grande escalada na primeira metade do ano, os números do ISP apontam para a redução na letalidade violenta na região.

De acordo com o estudo, foram 143 registros, somados os homicídios dolosos (120); mortes por intervenção policial (22) e latrocínio, que é o roubo seguido de morte (1). Outro dado que compõe a estatística da letalidade, a lesão corporal seguida de morte não teve nenhuma ocorrência computada.
No total, houve uma redução de 24% na letalidade violenta com relação ao primeiro semestre de 2018, que registrou 184 ocorrências, sendo 158 homicídios dolosos; 23 mortes por intervenção policial; três latrocínios. Na primeia metade do ano passado, também não houve registro de lesão corporal seguida de morte. 

A tendência de redução nos números de letalidade violenta já tinha sido observada e publicada pela Folha na edição do último dia 20 de junho. O número de homicídios nos sete municípios juntos, por exemplo, é o menor desde 2013, quando foram registradas 109 mortes violentas.

Especificamente em Cabo Frio, que vive um período de acirramento na disputa entre facções criminosas, o índice de letalidade violenta entre janeiro e junho foi de 59 contra 70 no primeiro semestre de 2018.  Este ano, já foram registrados 51 homicídios dolosos e oito por intervenção policial. Em 2018, foram 59 homicídios dolosos e 11 por intervenção policial.

No Estado – Os crimes contra a vida apresentaram queda no estado em junho e no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. 

Entre janeiro e junho de 2019, o homicídio doloso registrou queda de 23% quando comparado com o mesmo período do ano passado – foram 608 homicídios a menos nos primeiros seis meses deste ano. O mesmo aconteceu com o indicador estratégico letalidade violenta: redução de 15% no primeiro semestre deste ano. 

Na contramão do que acontece aqui, os roubos a pedestre, em coletivo e de celular reduziram 2% no acumulado do ano quando comparado com o mesmo período do ano passado.