Assine Já
domingo, 15 de dezembro de 2019
Região dos Lagos
29ºmax
21ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
policia

Rottweiler pode ter sido usado para matar 118 coelhos em Cabo Frio

Polícia vai analisar registros de câmeras de segurança

04 agosto 2014 - 10h29Por Sérgio Meirelles | Foto: Blog Eduander Silva
Rottweiler pode ter sido usado para matar 118 coelhos em Cabo Frio

Um cão da raça rottweiler pode ter sido usado para matar os 118 coelhos e preás da Associação de Moradores do Parque Burle, em Cabo Frio. Essa é a principal linha de investigação da polícia. Policiais da 126ª DP estão se baseando no depoimento do presidente da associação, Anselmo Rodrigues, para tentar chegar ao culpado.

Ontem (02/08), ao chegar pela manhã ao cativeiro onde se encontravam os bichos, Anselmo constatou que quase todos os animais da criação haviam sido mortos de forma cruel e violenta. Muitos dos quais tiveram os corpos mutilados. Anselmo relatou para polícia que por volta das 7h quando se dirigia à associação foi avisado por um vizinho de que uma pessoa, acompanhada de um cão, havia entrado no cativeiro. Quando Anselmo chegou ao local deparou-se com a cena chocante: todos os coelhos e preás da criação estavam mortos.

O Boletim de Ocorrência foi feito na 126ª DP. Segundo o delegado Lauro Coelho, a partir de amanhã (04/08), policiais do setor de investigação irão à Associação de Moradores a fim de colher depoimentos de testemunhas e verificar se há no local alguma câmera que possa ter gravado a ação do criminoso. Matar ou ferir animais é crime previsto na lei 9.605. Quem a transgride pode ser condenado a uma pena de até um ano e quatro meses de prisão. Anselmo contou à polícia que os animais mortos faziam parte do projeto “Bicho na Praça”, destinado as crianças do bairro.

Além dos coelhos e preás, Anselmo criava galinhas e patos. A associação fica na Avenida Victor Rocha. O Rottweiler é uma raça canina desenvolvida na Alemanha. O cão foi criado por açougueiros da região de Rottweil para o trabalho. Logo ele tornou-se um eficiente animal de guarda e pastoreio, além de útil na tração. Ele tem uma expectativa de vida de oito a 10 anos. É dedicado, de boa natureza, obediente, calmo e corajoso.