Assine Já
segunda, 21 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
homicídios

Região tem 14 homicídios registrados em uma semana

Comandante do 25 BPM, tenente-coronel André Henrique Oliveira, reforçou policiamento

22 outubro 2016 - 09h10Por Fernanda Carriço
Região tem 14 homicídios registrados em uma semana

Do sábado passado até agora, a Região dos Lagos registra uma triste realidade: 14 pessoas foram assassinadas nos últimos sete dias, até o fechamento desta edição. Os números por si só já seriam suficientes para o alarme – afinal, estamos nos referindo a uma das semanas mais violentas de 2016. Mas a brutalidade dos crimes chocaram moradores da Região dos Lagos.

No sábado pela manhã, uma pessoa se deparou com uma cabeça de um homem pendurada em uma cerca da área rural de Iguaba. O corpo estava um pouco mais a frente. No mesmo sábado à noite, três jovens foram assassinados na Rua do Fogo em São Pedro. O crime, ainda sem conclusão, pode ter sido motivado pela guerra do tráfico de drogas por controle de espaço. Esses são alguns dos casos de uma semana que teve, inclusive, uma família inteira seqüestrada e morta em Araruama.

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública, ISP, de janeiro a agosto deste ano 175 homicídios foram registrados na Região dos Lagos. Número 4,8% maior que o mesmo período do ano passado, onde a polícia registrou 167 assassinatos. Por mais que não seja o mesmo período, os números ilustram uma violência crescente em todo o território nacional. Segundo o comandante do Batalhão, tenente-coronel André Henrique Oliveira, a maior parte dos homicídios está relacionada ao tráfico de drogas. De acordo com ele os números estão dentro das metas estipuladas pelo ISP, mas mesmo assim o policiamento foi reforçado.

– Em relação aos homicídios, a questão é complexa, pois não podemos estar em todos os lugares ao mesmo tempo, mas estamos dentro das metas estipuladas pelo Instituto de Segurança Pública. Quero deixar claro que a maior parte dos casos são por causa de envolvimento com tráfico de drogas e brigas internas de facções. Mas estamos trabalhando forte e reforçamos o policiamento – disse, citando os bairros Colina, em São Pedro; Areal (Araruama) e as comunidades do Valão e Limão (Cabo Frio).

Apesar disso, o comandante admite que a crise econômica influencia diretamente na Segurança Pública.

– Não acho que estamos ‘enxugando gelo’. Acho que tem a ver com o momento que o Estado vive, a conjuntura do Estado. Apesar da polícia estar prendendo e apreendendo muito, a crise econômica e fatores sociais podem estar influindo. O importante é que a população colabore, ligue e participe do planejamento por meio dos conselhos comunitários de segurança – finalizou.