Assine Já
quarta, 20 de outubro de 2021
Região dos Lagos
18ºmax
14ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
OPERAÇÃO ALCAIDES

Operação prende seis PMs por corrupção e associação criminosa no Batalhão de Polícia Rodoviária

Segundo o Ministério Público, militares cobravam propina para aliviar fiscalização nos postos de Barra de São João e de Parque dos Tubos, em Macaé

29 abril 2020 - 17h07Por Redação

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ) e da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, através da Corregedoria/PMERJ, prenderam, nesta quarta-feira (29), seis policiais militares por corrupção e organização criminosa no Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV). Além das seis prisões, a Operação Alcaides cumpre mandados de busca e apreensão.

 A  investigação teve início a partir de notícia crime formulada por integrante de uma das empresas achacadas pelos policiais militares denunciados. O relato informava que os policiais, valendo-se do aparato existente nos postos de Barra de São João e de Parque dos Tubos (Macaé) do BPRV, realizavam fiscalizações, autuavam e retinham veículos, até obterem contato com os proprietários ou representantes das empresas para, em seguida, solicitar e exigir o pagamento de propina em troca de isentar tais veículos da fiscalização pelos referidos postos do Batalhão.

No curso da investigação foram deferidas pelo Juízo da Auditoria Militar as medidas cautelares de interceptação telefônica e quebra de sigilo de dados, que permitiram comprovar os fatos noticiados e desarticular parte da organização criminosa que operava junto ao BPRV.

Foram denunciados o major Felipe Lopes Magalhães dos Reis, o subtenente Epaminondas da Costa Lima, os subtenentes reformados Luiz Cláudio Cardoso de Oliveira e Marcos Souza de Oliveira, e os segundo sargentos Renato Mendes Xixiu e Wellington Soares da Silva. Eles irão responder por organização criminosa, corrupção passiva, concussão e lavagem de dinheiro.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.