Assine Já
sexta, 01 de julho de 2022
Região dos Lagos
23ºmax
15ºmin
VIAJE BEM Confira 331 hospedagens bem avaliadas na Região dos Lagos
PERIGO PELA TELA DO CELULAR

Onda de golpes pelo WhatsApp chama atenção da polícia

Delegado e CCS alertam população sobre armadilhas digitais

26 dezembro 2021 - 09h30Por Rodrigo Branco

É difícil imaginar o mundo contemporâneo sem as ferramentas de conversa instantânea. São textos, imagens e mensagens de voz trocados dezenas de vezes ao dia, mas a rotina da comunicação virtual pelo celular esconde perigos reais, que tem feito diversas vítimas em Cabo Frio e na região. Não são raros os relatos nas redes sociais de pessoas que tiveram o número do WhatsApp clonado ou simplesmente a foto usada por criminosos, que tentam obter vantagem financeira de terceiros.

O titular da 126ª DP (Cabo Frio), delegado Carlos Eduardo Almeida não deu números, mas afirmou que ó número de queixas na unidade por conta desse tipo de crime é ‘considerável’. O delegado alerta que pedidos de dinheiro por mensagens de celular não devem ser atendidos de forma alguma. Caso a vítima caia na conversa, ele afirma, é preciso prestar queixa na delegacia.

– Só tem uma forma mais eficaz de evitar. Como os criminosos se valem de tecnologia, não tem como se proteger da clonagem, então entre em contato com os amigos e familiares mais próximos e não atenda ao pedido, seja para qualquer tipo de finalidade – advertiu.

Um homem, que não quis se identificar, não teve a atitude de checar a veracidade do pedido e perdeu R$ 2 mil. O criminoso se fez passar pelo primo da vítima e pediu a quantia para fazer a compra urgente de remédios para a sogra. Ao encontrar o parente, tempos depois, descobriu que tinham lhe passado a perna.

– Não tive maldade e acabei me dando mal porque não liguei para conferir se era o meu primo que estava falando. Na correria e na confiança, perdi um dinheiro que é suado de conseguir. Toda essa situação me deixa até envergonhado, por ter sido um alvo fácil desses marginais – resumiu.

De tempos em tempos, a onda de golpes pelo WhatsApp ressurge com força, e em diferentes roupagens, mas sempre com o mesmo objetivo, que é lesar financeiramente pessoas inocentes. Seja por um link malicioso que oferece um serviço ou produto grátis, como revistas ou serviços de streaming, seja um pedido de confirmação de dados pessoais, ou ate mesmo a oferta de saque emergencial do FGTS.

Em alguns casos, não há clonagem de números, mas os golpistas se valem de uma foto da vítima para arrancar dinheiro de conhecidos dela. Foi o caso da comunicadora Catarina Lattanzi, que passou pela experiência há algum tempo, mas desta vez, por atenção, a situação não teve conseqüências.

– Um sobrinho me ligou, me alertando sobre três irmãos me perguntando no grupo da família se eu teria mudado meu número de celular. Nem deu tempo para ler as mensagens. O sobrinho quem me alertou. Liguei para eles e teriam recebido mensagens de um número estranho, contendo a mensagem: “Bom dia! Salva meu número novo!”. Contudo, todos tiveram a malícia de fazer contato comigo questionando a veracidade da mensagem recebida. Inicialmente disparei a informação de fraude, ou tentativa de fraude, para centenas de pessoas, além de publicar nos stories do Instagram e Facebook. Até então, não detectei nenhum prejuízo, porém ainda assim fiz um registro da ocorrência via on-line – conta.

Nesta semana, o comunicador da Rádio Ondas Gustavo Távora teve a foto usada para que criminosos entrassem em contato com a mãe dele, que também desconfiou do contato feito de um número de prefixo 024.

– Pegaram minha foto, com número diferente e mandaram mensagem pra minha mãe como se fosse eu. E eu acho que conseguiram essa foto do meu Facebook, é uma foto recente. Eu mesmo já fui vítima de um negócio desses, há algum tempo, perdi R$ 1 mil. Recebi uma mensagem parecida, que precisava de uma grana e acabei caindo no golpe. Um amigo do Rio também caiu nesse golpe. Ele perdeu R$ 1,5 mil – relata.

Preocupada com o número de casos do tipo, a presidenta do Conselho Comunitário de Segurança (CCS) de Cabo Frio, Patrícia Cardinot orienta a população para que não se deixe envolver pelos golpistas.

– O próprio SMS enviado pelo mensageiro afirma que o código de verificação não deve ser compartilhado com terceiros. Sendo assim, suspeite quando receber esse tipo de mensagem E não informe códigos do WhatsApp para eventos, em troca de ingressos, eventos, show de famosos – salienta.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.