Assine Já
quarta, 27 de outubro de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52450 Óbitos: 2151
Confirmados Óbitos
Araruama 12382 441
Armação dos Búzios 6530 73
Arraial do Cabo 1736 93
Cabo Frio 14792 880
Iguaba Grande 5486 140
São Pedro da Aldeia 6993 289
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Polícia

Escalada da brutalidade refletida em números

Agosto tem maior número de mortes violentas do ano

20 setembro 2019 - 19h45
Escalada da brutalidade refletida em números

O sinal de alerta está mais do que ligado. Depois de a região registrar meses com índices de violência sob relativo controle, inclusive na alta temporada, agosto teve o maior número de ocorrências de letalidade violenta em 2019, até o momento, com 31 casos. Os registros de letalidade violenta incluem os homicídios dolosos (quando há intenção de matar); as lesões corporais seguidas de morte; os latrocínios (roubos seguidos de morte) e as mortes por intervenção policial, também conhecidas como ‘autos de resistência’. O dados são do novo levantamento mensal que acaba de ser divulgado pelo Instituto de Segurança Pública (ISP).


O estudo mostra ainda uma tendência de aumento concentrada nos últimos quatro meses. De abril até o fim de agosto, a letalidade violenta subiu 63%. Foram 19 casos em abril; já no mês seguinte, o número subiu para 26. Em junho, esse número chegou a 27, o que se manteve em julho. Também houve aumento comparado ao mês de agosto do ano passado, que teve 26 ocorrências, o que significa um acréscimo de 19,2% de um ano para o outro. Especificamente no mês de agosto deste ano, os registros de letalidade violenta foram divididos entre homicídios dolosos (21) e mortes por intervenção policial (10).


Quando a análise leva em conta a letalidade violenta acumulada entre janeiro e agosto, a tendência se inverte. Nos oito primeiros meses de 2019, foram registrados 200 casos; sendo 158 homicídios dolosos e 42 mortes por intervenção policial. No mesmo período do ano passado, esse índice foi de 237 casos, dos quais 205 foram homicídios dolosos; 28 foram mortes por intervenção policial e quatro foram latrocínios. No geral, houve redução de 15,6%.


No caso dos crimes patrimoniais, como os roubos, agosto teve ligeira redução em relação ao mesmo mês do ano passado. No oitavo mês de 2019, foram 222 ocorrências contra 225 em 2018 (redução de 1,3%). Em relação a 2018, caíram os índices de roubo de veículos (de 32 para 27) e a estabelecimentos comerciais (de 24 para 17) e aumentaram os roubos a pedestres (de 99 para 116) e de celular (de 28 para 30).
No acumulado janeiro-agosto, houve aumento em 2019 em relação ao ano anterior. Se nos oito primeiros meses de 2018, foram registrados 1.788 boletins de ocorrência para este tipo de crime, no mesmo período deste ano, esse número subiu para 1.966. O aumento foi de aproximadamente 10% de um ano para outro. 


Em 2019, foram registrados 950 assaltos a pedestres (814 no ano anterior); 337 roubos de celular (221 em 2018); 242 veículos levados por ladrões (258 em 2018) e 105 estabelecimentos roubados (124 em 2018).


Em nota, a assessoria de comunicação da Polícia Militar disse que o comando do 25ºBPM (Cabo Frio) emprega suas equipes com base nas análises das manchas criminais locais, através de informações colhidas pelo Setor de Inteligência da Unidade. O policiamento na região é realizado com viaturas, motos, bicicletas e a pé, sempre com o objetivo de coibir ações de criminosos. Dados divulgados pelo ISP demonstram que tal estratégia vem refletindo na queda de 15,2% na letalidade violenta, 22,9% no homicídio doloso e 6,2% no roubo de veículo entre janeiro e agosto deste ano, comparado ao mesmo período de 2018.


Além disso, a corporação ressalta que é de fundamental importância a colaboração da população com o registro de ocorrências em delegacias para a transmissão de informações que possam conduzir as autoridades aos trâmites investigativos necessários para a prisão dos criminosos. A Central 190 e o Disque Denúncia - tel. (21) 2253-1177 - também seguem à disposição em tempo integral.