Assine Já
quarta, 01 de dezembro de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53491 Óbitos: 2186
Confirmados Óbitos
Araruama 12497 447
Armação dos Búzios 6580 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15408 901
Iguaba Grande 5564 147
São Pedro da Aldeia 7047 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Operação Toxicity

Em continuação da Operação Toxicity, polícia prende mais um suspeito de participar de sequestro de vigias

Sexta-feira (9) foi marcada por mais um dia de tiroteio entre a PM e traficantes do Manoel Corrêa

10 agosto 2019 - 09h43Por Redação I Divulgação
Em continuação da Operação Toxicity, polícia prende mais um suspeito de participar de sequestro de vigias

Um homem foi preso no Manoel Corrêa, em Cabo Frio, na noite desta sexta-feira (9), durante a continuação da Operação Toxicity, realizada desde a última quarta-feira (7) em conjunto pelas polícias Civil e Militar. Ele é suspeito de participar do sequestro, tortura e, possivelmente, o assassinato de dois vigias noturnos, na madrugada de 28 de julho, na região das dunas, que fica próxima à Favela do Lixo, no mesmo bairro.

Segundo o delegado Sérgio Caldas, titular da 126ª DP (Cabo Frio), os agentes receberam uma denúncia anônima por WhatsApp para localizar o homem, contra o qual havia um mandado de prisão temporária, isto é, válida por 30 dias, em aberto. O trabalho de busca durou cerca de duas horas.

Não houve resistência, apesar de haver a movimentação próxima de três suspeitos, sendo dois em uma motocicleta e potencialmente armados. Participaram da ação três equipes da polícia. 

Horas antes da captura do suspeito, no fim da tarde, houve mais um tiroteio entre policiais militares e traficantes da Favela do Lixo. O som dos disparos foi ouvido nas ruas de bairros vizinhos, como Guarani e Célula Máter. 

Perícia – Nesta sexta-feira, o delegado Sérgio Caldas entregou para a perícia os restos mortais encontrados nas dunas na última quarta para a realização de exame de DNA a fim de identificar de quem é a ossada. Na mesma ocasião, foi recolhido material biológico de familiares dos vigias capixabas para saber se os restos mortais são dos trabalhadores desaparecidos.