Assine Já
quinta, 26 de novembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11737 Óbitos: 538
Confirmados Óbitos
Araruama 2347 117
Armação dos Búzios 1060 16
Arraial do Cabo 364 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1069 40
São Pedro da Aldeia 1801 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
traficante

Dizendo-se 'cansado do crime', traficante se entrega em São Pedro

Policial rodoviário afirma que foi sua primeira ocorrência do tipo em 21 anos de profissão

23 junho 2017 - 10h32Por Redação
Dizendo-se 'cansado do crime', traficante se entrega em São Pedro

Três policiais rodoviários terminavam o plantão no Posto 9 do Batalhão de Polícia Rodoviária, em São Pedro da Aldeia, na manhã de quinta-feira. A rotina de policiamento na estrada, no caso a RJ 104, seguia normal até que por volta das 7h30 um toque na porta chamasse a atenção dos policiais. O policial rodoviário, sargento Goes, foi atender e se deparou com um jovem que trazia consigo, além da aparência cansada, 14 pinos de cocaína, três tabletes de maconha e R$295, que seria o dinheiro do movimento do tráfico da noite anterior. Conhecido como “Da Rua”, Wagner de Souza Pereira, 29 anos, procurou os policiais do BPRV para se entregar.

– Com licença, eu sou um traficante e gostaria de me entregar – disparou Wagner, para espanto dos policiais.

A surpresa tomou conta do lugar, e os policiais ouviram dele a história que o levou a admitir que era um traficante da Rua do Fogo, em São Pedro. Wagner relatou que estava sendo assombrado pelo medo da morte, não só pelo risco de confronto com a polícia, mas também pela chefia do tráfico. Além de temer pela própria vida, o traficante disse que tinha medo da segurança da família, principalmente a da mãe. Se dizendo cansado da vida do crime, “Da Rua” afirmou que o dia a dia do tráfico de drogas não lhe servia mais e que gostaria de mudar de vida. E ele estava ali para provar para a família.

– Em 21 anos de polícia foi a primeira vez que isso me aconteceu. Até já ouvi falar de alguns casos, mas o fato é muito incomum, o mais inusitado neste tempo de profissão. Mas a satisfação é grande porque para um profissional da área de segurança pública o maior desejo é ver a pessoa ressocializada. E a vida no tráfico não leva a nada, só a morte – declarou o Sargento Goes.

O caso curioso e nada comum foi registrado na 126ªDP (Cabo Frio) e a ocorrência demorou cerca de 10 horas para ser finalizada. Sensibilizada com o caso, a equipe que estava deixando o plantão no BPRV seguiu com “Da Rua” até que toda a burocracia fosse cumprida. Wagner ficou preso na delegacia.

– Eu acho que é um ato honroso da parte de uma pessoa que quer mudar de vida. Muitas famílias são destruídas pelo tráfico, o Wagner disse que a mãe dele estava quase enfartando. O BPRV está à disposição para quem quiser mudar de vida e se entregar - finalizou o sargento Goes.

(*) Com colaboração de Eduander Silva.