Assine Já
segunda, 06 de julho de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
17ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 272 585 40
Armação dos Búzios X 256 6
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 954 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 24 465 16
Saquarema 17 484 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
Folha dos Lagos

Com onda de roubos, cabistas se preocupam com iluminação ruim

Após publicação da matéria da Folha outro caso de roubo foi registrado

09 dezembro 2015 - 09h15

Um dia após a matéria da Folha sobre a recente onda de roubos em Arraial do Cabo, ontem, pelo me­nos mais um caso foi registrado na cidade, desta vez próximo ao clube Apollo, na Praia dos Anjos. Uma professora que não quis ser identi­ficada, foi assaltada no fim da ma­nhã por dois homens de cerca de 18 anos, um deles de bicicleta.

Em que pese o assalto descrito acima ter acontecido em plena luz do dia, os relatos de vítimas e tes­temunhas ouvidas pela reportagem dão conta que é depois que o sol se põe que os riscos aumentam, prin­cipalmente nos pontos onde a ilu­minação pública é considerada defi­ciente pela população.

O comerciante Marlon Bernardo admite que, em função do perigo, tem fechado mais cedo seu estabe­lecimento, no bairro Sítio. Ele cobra uma solução das autoridades para o ‘breu’ que certas ruas se tornam após o anoitecer.

– As ruas da Arraial estão comple­tamente às escuras, apesar de a po­pulação pagar taxas de iluminação pública. Acredito que isso facilita os roubos na medida que os criminosos podem ficar às escondidas – diz.

Outro comerciante, que preferiu ficar no anonimato, disse que a ci­dade está virando ‘motivo de cha­cota’ e se preocupa com os muitos boatos que tem sido disseminados pelas ruas e na internet. No entanto, ele admite que falta iluminação nas vias cabistas, inclusive, nas proxi­midades da prefeitura.

– Não são apenas os roubos, mas também as casas que têm sido ar­rombadas. Pagamos essa taxa de iluminação com valores absurdos e a cidade fica no escuro – se revolta.

A moradora Eliane Fonseca, cujo caso foi relatado na edição de on­tem, foi roubada junto com o filho, próximo à meia-noite. Segundo ela, a penumbra facilitou o trabalho dos criminosos.

– Estava tudo muito escuro. Ha­via poucas luzes acesas. E as árvores eram grandes, sem poda – descreve.

Em nota, a concessionária de energia elétrica Ampla informou que a iluminação pública é uma atri­buição da prefeitura. Por sua vez, o secretário municipal de Serviços Públicos, Francisco de Assis, infor­mou que o material já foi solicitado em caráter emergencial para que os reparos sejam retomados. A previsão é que ele chegue até esta sexta-feira, 11. Segundo ele, as solicitações das ruas já foram anotadas e todas ‘estão sendo vistas como prioridades para melhorar a segurança’.