Assine Já
domingo, 28 de fevereiro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
22ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26413 Óbitos: 912
Confirmados Óbitos
Araruama 6711 182
Armação dos Búzios 3191 32
Arraial do Cabo 855 37
Cabo Frio 7283 352
Iguaba Grande 2510 55
São Pedro da Aldeia 3488 126
Saquarema 2375 128
Últimas notícias sobre a COVID-19
POLÍCIA

Casos registrados de violência doméstica aumentam em 527% durante pandemia em Arraial do Cabo, diz Polícia Civil

Durante todo o período que abrange a pandemia, o número é de 58 registros até a publicação desta matéria

28 julho 2020 - 10h00Por Redação

Os casos registrados de violência doméstica aumentaram em 527% durante o período de pandemia do novo coronavírus em Arraial do Cabo. É o que aponta um levantamento feito pela 132ª DP, obtido com exclusividade pela Folha. O dado foi obtido numa comparação entre os dois primeiros meses do ano com os dois primeiros meses da pandemia – março e abril. Em janeiro e fevereiro, foram registrados 7 casos. Durante todo o período que abrange a pandemia, o número é de 58 registros até a publicação desta matéria, segundo a Polícia Civil. 

Com o intuito de combater os crimes de violência contra à mulher, a delegada titular da unidade, Patrícia de Paiva Aguiar, montou uma força-tarefa que conta com o apoio de mais três policias femininas, além dos suportes da juíza titular da Vara Única da Comarca de Arraial do Cabo e da promotora de Justiça do município.

– Assim que entrei na 132ª DP percebi uma carência em relação aos casos de violência doméstica. Esta força-tarefa tem como o objetivo o empoderamento da mulher para que ela saia de um ciclo de violência e consiga dar o primeiro passo, que é fazer a denúncia – conta a delegada, lembrando que as denúncias podem ser feitas pelo WhatsApp através do número (22) 981136585.

A delegada conta que um dos maiores desafios é o das mulheres agredidas denunciarem os agressores. A unidade também tem o desafio de acelerar as investigações para que os criminosos sejam punidos o mais rápido possível.

Os crimes oriundos do tráfico de drogas são outra preocupação. Embora os índices tenham retraído durante o período de isolamento, a delegada acredita que, com as regras de flexibilização dos municípios vizinhos, os índices voltarão a aumentar. Para o decorrer do ano, a titular afirmou que o objetivo da unidade é de oferecer o maior número de inquéritos encerrados ao Ministério Público, para que o órgão possa fazer as denúncias.

– O objetivo é de concluir as investigações que estão em andamento e aquelas que ainda serão iniciadas – conta.

À frente da 132ª DP há quatro meses, a delegada Patrícia já tem 20 anos de carreira e já trabalhou em diversas delegacias especializadas, como a de defraudações; do consumidor; de proteção à criança e ao adolescente; de homicídios; 13ª DP (Copacabana); 15ª DP (Gávea); nas Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (Deam) de Belford Roxo e Jacaré Paguá; e em delegacias da Baixada Fluminense, como as de  Japeri, Piabetá, e Magé.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.