Assine Já
quarta, 20 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
rayzza

Caso Rayzza: delegado espera pedido de prisão

Medida cautelar está sendo avaliada e poderá sair na semana que vem

25 junho 2016 - 10h02
Caso Rayzza: delegado espera pedido de prisão

O pedido de prisão do suspeito de assassinar Rayzza Ribeiro está na vara criminal de São Pedro da Aldeia. A Polícia Civil aguarda análise do juiz para sair no encalço do acusado de esquartejar a jovem de 21 anos na madrugada do dia 22 de maio, na Estrada do Chaparral, em São Pedro. O delegado da 126ª DP (São Pedro), Jorge Veloso, encaminhou o pedido em caráter de urgência e espera a aprovação na próxima semana. O delegado enviou outras medidas cautelares.

– Na terça, foi pedida a prisão. No dia seguinte, o Ministério Público analisou o pedido e deu retorno concordando. Mas o pedido de prisão não é a única medida cautelar. Também pedi- mos busca e apreensão na casa do suspeito, quebra de sigilo do telefone da vitima e do suspeito e interceptação telefônica.

Jorge Veloso também afirmou que ainda recolhe provas.

– Concluímos a primeira eta- pa do inquérito. Estamos reunindo tudo que podemos: auto de exame cadavérico, laudo de exame do local, fotografia da menina... Estamos reunindo tudo isso nos autos para juntar a matéria de prova. Pode levar até um mês para ser avaliado. Mas, como o pedido está em caráter de urgência, creio que na segunda-feira à tarde isso deve estar na delegacia para efetuarmos as diligências – finaliza.

A pressão pela prisão do assassino de Rayzza é grande. Mulheres, em solidariedade, organizaram duas manifestações em homenagem à jovem e cobra- ram resultados da Polícia Civil. Um protesto aconteceu na Praça Porto Rocha, no centro de Cabo Frio. O outro foi realizado na Praça do Canhão, no centro de São Pedro da Aldeia. A mãe da vítima esteve presente nos dois e também pediu justiça pela filha. Paralelos à investigação, amigos da menina também se uniram para buscar imagens de câmeras e ajudar na resolução do caso.