Assine Já
sexta, 07 de agosto de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
14ºmin
Mercado Tropical
Alerj
TEMPO REAL Confirmados: 4771 Óbitos: 282
Confirmados Óbitos
Araruama 820 56
Armação dos Búzios 357 9
Arraial do Cabo 120 12
Cabo Frio 1563 93
Iguaba Grande 334 23
São Pedro da Aldeia 744 39
Saquarema 833 50
Últimas notícias sobre a COVID-19
arma

Ativista social é baleado próximo ao Ginásio Poliesportivo Aracy Machado, no Itajuru

Vítima não soube identificar o autor dos disparos

17 junho 2015 - 15h05
Ativista social é baleado próximo ao Ginásio Poliesportivo Aracy Machado, no Itajuru

Alex Vinicius Martins da Silva, 29 anos, foi baleado na noite desta terça-feira em frente ao Ginásio Poliesportivo Aracy Machado, próximo a uma lanchonete, no Itajuru. Idealizador do projeto 'Minha Favela Querida', que tem como objetivo promover a reeducação social através da arte, Alex foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Burle. Ele passa bem. O disparo teria atingido a região abdominal, não perfurando nenhum órgão vital. Alex não soube dar aos policiais nenhuma informação sobre o autor dos disparos, que teriam sido feitos por um homem dentro de um carro. O crime foi registrado na 126ª DP como tentativa de homicídio.

"Um amigo esteve com no hospital e conseguiu ouvir a voz dele. Ele disse para todos ficarem tranquilos, pois está bem", disse uma pessoa próxima à vítima.

No início de abril, o ‘Minha Favela Querida’ realizou no Itajuru o evento ‘A Tenda da Cultura’, que reuniu diversas atrações musicais, além de intervenção com grafite para tampar as pichações de facções. Na época, Alex deu entrevista à Folha e disse que sonhava transformar o Itajuru em favela modelo.

“Queremos que o Itajuru seja um exemplo para as favelas do Brasil. Essa transformação vem dos próprios moradores. O governo é ausente, sim, mas não podemos ficar esperando o tempo todo. Temos de agir. E até dando boas ideias ao próprio governo. Acreditamos que, se nos tornamos um bom exemplo, muitas outras comunidades podem seguir o mesmo caminho", afirmou.

No ano passado, o projeto retirou as pichações de facções no entorno do Aracy Machado. "Queremos trabalhar a reeducação social, sempre pensando no objetivo maior: o fim da guerra de facções", disse.