Assine Já
terça, 07 de julho de 2020
Região dos Lagos
26ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
TEMPO REAL Suspeitos: 307 Confirmados: 3144 Óbitos: 189
Suspeitos: 307 Confirmados: 3144 Óbitos: 189
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 261 601 41
Armação dos Búzios X 265 7
Arraial do Cabo 9 83 11
Cabo Frio X 959 61
Iguaba Grande 13 218 20
São Pedro da Aldeia 17 500 18
Saquarema 7 518 31
Últimas notícias sobre a COVID-19
Polícia

Acusado de matar policial militar diz que atirou para se defender

Após o crime, “Nandinho” jogou a arma no canal

09 outubro 2015 - 09h36Por Fernanda Carriço

A delegada titular da 126°DP, Flávia Monteiro, foi à 71°DP, em Itaboraí, na noite de quarta-feira (7), interrogar o assassino con­fesso do PM Ronaldo Ferreira, Fernando Santos Catarina, 25, conhecido como ‘Nandinho do Valão’. Segundo ela, o homem relatou com frieza detalhes o que aconteceu na fatídica ma­drugada de domingo, em fren­te a um churrasquinho da Ézio Cardoso da Fonseca, no Jardim Esperança, Cabo Frio.

– Fernando disse que estava armado porque já fez parte de uma facção criminosa e que era perseguido e, no que o policial viu a arma, teria disparado contra ele. Para se defender, ele efetuou 4 disparos. Ele disse ainda que dispensou a arma no Canal do Itajuru e que estaria arrependido pelo fato de Ronaldo ser policial, o que mostra que não se arrepen­deu por ter tirado uma vida.

A rapidez para a elucidação do caso também foi destaca­da pela policial civil. Flávia Monteiro informou que rece­beu muitos telefonemas que davam pistas sobre o paradeiro de Fernando e acredita que isto só seja possível porque a popu­lação da cidade não se rende à criminalidade.

– A elucidação do caso foi de suma importância tanto para Po­lícia Civil quanto para a Militar. Eu quero agradecer a todas as pessoas que acreditaram no tra­balho da polícia. Meu gabinete está sempre de portas abertas à população – finalizou.

Fernando Santos Catarina foi transferido da Delegacia de Ita­boraí para o Complexo Peniten­ciário de Bangu. Já o adolescen­te acusado de dirigir a moto que trazia o atirador no carona foi encaminhado para uma institui­ção socioeducativa por determi­nação da Justiça, através da Vara da Infância e Juventude.