Assine Já
terça, 14 de julho de 2020
Região dos Lagos
23ºmax
15ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 310 Confirmados: 3455 Óbitos: 200
Suspeitos: 310 Confirmados: 3455 Óbitos: 200
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 279 8
Arraial do Cabo 9 88 11
Cabo Frio X 1037 64
Iguaba Grande 14 257 20
São Pedro da Aldeia 4 537 20
Saquarema 9 599 35
Últimas notícias sobre a COVID-19
greve

Plano de cargos e salários da educação de Arraial pode ser concluído nesta quarta-feira 

Categoria não aceitou alterações propostas pelo governo municipal e greve continua

22 outubro 2014 - 13h58Por Nicia Carvalho

O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação na Região dos Lagos (Sepe Lagos) deve se reunir a qualquer momento com o líder do governo na Câmara, o vereador Luciano Aguiar, o Tequinho (PPS) para renegociar o plano de cargos e salários da educação. A categoria não aceitou as alterações propostas pela prefeitura e nova negociação será feita hoje. A expectativa é de que as partes entrem em acordo para que os ajustes sejam concluídos hoje (22), com sessão extraordinária da Câmara, uma vez que na amanhã (23) é feriado em Arraial.
- As alterações que o governo propõe são cruciais para a categoria, não temos como aceitar. Até porque algumas ferem o princípio da isonomia, por exemplo. Nossa proposta foi de nos reunirmos hoje e votarmos o plano em sessão extraordinária. Está nas mãos do governo acabar com a greve – afirmou Denise Teixeira, coordenadora do Sepe Lagos.
Ontem (21), findou o prazo estabelecido entre a prefeitura e o sindicato para que o documento fosse enviado à casa legislativa para ajustes. No entanto, a categoria não concordou com os termos do governo que propôs alterações nos seguintes pontos da pauta da categoria:
- carga horária de professor II de 22h e de professor I de 20h. O Sepe quer todos os professores com carga de 20h;
- quanto a lotação dos profissionais, a prefeitura quer que fiquem na Secretaria e Educação e o Sepe quer que permaneça nas escolas, como acontece atualmente;
- alteração da carga horária de inspetor de aluno de 30h para 40h,;
- a prefeitura quer que o plano seja aplicado apenas para os futuros profissionais concursados e para os professores que já estão na rede. Funcionário concursado antigo fica e fora do plano.
Não aceitamos de forma alguma essa última alteração. O plano tem que ser para todos os profissionais da educação - concluiu Denise Teixeira.