Assine Já
sábado, 18 de setembro de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 50688 Óbitos: 2057
Confirmados Óbitos
Araruama 12158 430
Armação dos Búzios 6182 64
Arraial do Cabo 1680 90
Cabo Frio 14015 822
Iguaba Grande 5355 134
São Pedro da Aldeia 6830 284
Saquarema 4468 233
Últimas notícias sobre a COVID-19
greve

Plano de cargos e salários da educação de Arraial pode ser concluído nesta quarta-feira 

Categoria não aceitou alterações propostas pelo governo municipal e greve continua

22 outubro 2014 - 13h58Por Nicia Carvalho

O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação na Região dos Lagos (Sepe Lagos) deve se reunir a qualquer momento com o líder do governo na Câmara, o vereador Luciano Aguiar, o Tequinho (PPS) para renegociar o plano de cargos e salários da educação. A categoria não aceitou as alterações propostas pela prefeitura e nova negociação será feita hoje. A expectativa é de que as partes entrem em acordo para que os ajustes sejam concluídos hoje (22), com sessão extraordinária da Câmara, uma vez que na amanhã (23) é feriado em Arraial.
- As alterações que o governo propõe são cruciais para a categoria, não temos como aceitar. Até porque algumas ferem o princípio da isonomia, por exemplo. Nossa proposta foi de nos reunirmos hoje e votarmos o plano em sessão extraordinária. Está nas mãos do governo acabar com a greve – afirmou Denise Teixeira, coordenadora do Sepe Lagos.
Ontem (21), findou o prazo estabelecido entre a prefeitura e o sindicato para que o documento fosse enviado à casa legislativa para ajustes. No entanto, a categoria não concordou com os termos do governo que propôs alterações nos seguintes pontos da pauta da categoria:
- carga horária de professor II de 22h e de professor I de 20h. O Sepe quer todos os professores com carga de 20h;
- quanto a lotação dos profissionais, a prefeitura quer que fiquem na Secretaria e Educação e o Sepe quer que permaneça nas escolas, como acontece atualmente;
- alteração da carga horária de inspetor de aluno de 30h para 40h,;
- a prefeitura quer que o plano seja aplicado apenas para os futuros profissionais concursados e para os professores que já estão na rede. Funcionário concursado antigo fica e fora do plano.
Não aceitamos de forma alguma essa última alteração. O plano tem que ser para todos os profissionais da educação - concluiu Denise Teixeira.