Assine Já
domingo, 08 de dezembro de 2019
Região dos Lagos
26ºmax
18ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
prefeito

Muniz assume prefeitura em Armação dos Búzios após briga judicial

Encontro com vereadores foi um do compromissos

23 maio 2014 - 11h38
Muniz assume prefeitura em Armação dos Búzios após briga judicial
Em um dos primeiros atos na chefia do Poder Executivo, o prefeito em exercício de Búzios, Carlos Alberto Muniz, recebeu dois vereadores de oposição ao governo no gabinete nesta quinta-feira (22). Os vereadores Felipe Lopes (PDT) e Gugu de Nair (PT do B) foram os únicos a votarem contra o decreto parlamentar que autorizou a viagem de André Granado e, ao mesmo tempo, concedeu a prefeito a possibilidade de continuar governando do exterior.
Mesmo após tantos capítulos, a novela da posse do vice em Búzios teve ainda mais um episódio no fim da tarde. Fontes da prefeitura informaram que o sistema de consulta de processos estava fora do ar. Nenhuma fonte oficial confirmou a existência do problema.
Prefeito não queria o vice no cargo
Foram seis dias de incertezas até o vice prefeito assumir a chefia do Executivo na vacância do titular, o prefeito André Granado (PSC). O fim do impasse se deu às 11h40, quando um Oficial de Justiça, acompanhado de policiais civis, entregou à subprocura-dora Karine Maciokas a ordem judicial para a posse do vice. 
A polêmica sobre a vacância na chefia do Executivo começou na quinta-feira (15), quando a Câmara Municipal aprovou um decreto parlamentar autorizando a viagem de Granado “sem prejuízo nas atribuições de chefe do Poder Executivo”. Na prática, André Granado continuaria governando mesmo estando fora do país, o que não é permitido pela Lei Orgânica Municipal.
O vice, então, entrou com um recurso na Justiça que foi aceito na sexta-feira (16). No sábado (17), quando o Granado embarcou para a França em viagem oficial, a Procuradoria da prefeitura entrou com um mandado preventivo para impedir a posse de Muniz. Na segunda-feira, quando Carlos Alberto foi até a prefeitura para assumir o cargo, o procurador apresentou o mandado preventivo e Muniz não conseguiu entrar no gabinete. Um novo recurso por parte do vice-prefeito deu origem à decisão que o fez tomar posse nesta quinta (22).