Assine Já
terça, 02 de junho de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
13ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 1007 Confirmados: 1194 Óbitos: 100
Suspeitos: 1007 Confirmados: 1194 Óbitos: 100
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 41 288 27
Armação dos Búzios 415 103 1
Arraial do Cabo 1 46 9
Cabo Frio 496 379 25
Iguaba Grande 42 93 13
São Pedro da Aldeia 6 107 8
Saquarema 6 178 17
Últimas notícias sobre a COVID-19
prefeito

Muniz assume prefeitura em Armação dos Búzios após briga judicial

Encontro com vereadores foi um do compromissos

23 maio 2014 - 11h38
Muniz assume prefeitura em Armação dos Búzios após briga judicial
Em um dos primeiros atos na chefia do Poder Executivo, o prefeito em exercício de Búzios, Carlos Alberto Muniz, recebeu dois vereadores de oposição ao governo no gabinete nesta quinta-feira (22). Os vereadores Felipe Lopes (PDT) e Gugu de Nair (PT do B) foram os únicos a votarem contra o decreto parlamentar que autorizou a viagem de André Granado e, ao mesmo tempo, concedeu a prefeito a possibilidade de continuar governando do exterior.
Mesmo após tantos capítulos, a novela da posse do vice em Búzios teve ainda mais um episódio no fim da tarde. Fontes da prefeitura informaram que o sistema de consulta de processos estava fora do ar. Nenhuma fonte oficial confirmou a existência do problema.
Prefeito não queria o vice no cargo
Foram seis dias de incertezas até o vice prefeito assumir a chefia do Executivo na vacância do titular, o prefeito André Granado (PSC). O fim do impasse se deu às 11h40, quando um Oficial de Justiça, acompanhado de policiais civis, entregou à subprocura-dora Karine Maciokas a ordem judicial para a posse do vice. 
A polêmica sobre a vacância na chefia do Executivo começou na quinta-feira (15), quando a Câmara Municipal aprovou um decreto parlamentar autorizando a viagem de Granado “sem prejuízo nas atribuições de chefe do Poder Executivo”. Na prática, André Granado continuaria governando mesmo estando fora do país, o que não é permitido pela Lei Orgânica Municipal.
O vice, então, entrou com um recurso na Justiça que foi aceito na sexta-feira (16). No sábado (17), quando o Granado embarcou para a França em viagem oficial, a Procuradoria da prefeitura entrou com um mandado preventivo para impedir a posse de Muniz. Na segunda-feira, quando Carlos Alberto foi até a prefeitura para assumir o cargo, o procurador apresentou o mandado preventivo e Muniz não conseguiu entrar no gabinete. Um novo recurso por parte do vice-prefeito deu origem à decisão que o fez tomar posse nesta quinta (22).