Assine Já
domingo, 05 de abril de 2020
Região dos Lagos
26ºmax
16ºmin
instalação

Instalação de quebra-molas na Estrada da Integração divide opiniões

Leitor reclama, por meio de whathsapp da Folha, sobre falha na colocação do redutor

17 setembro 2014 - 13h17Por Rosana Rodrigues|Fotos: Johnny Costa
 Instalação de quebra-molas na Estrada da Integração divide opiniões

A instalação de três quebra-molas no trecho do Km 5 da Estrada da Integração, no bairro São Jacinto, em Cabo Frio, é alvo de queixas de alguns motoristas que passam diariamente pelo local. O funcionário público Fernando Ferreira, que reclamou por meio do Whatsapp da Folha dos Lagos (99971-7556), diz que a colocação do mecanismo de redução de velocidade, além de estar fora do padrão das normas de sinalização, ainda dificulta o tráfego de motociclistas, já que a placa de aviso foi inserida bem próxima a um dos quebra-molas. Para ele, o que era para ser utilizado para diminuir colisões, pode vir a aumentar o número de acidentes.

O funcionário público, que passa por ali diariamente para chegar ao seu trabalho no Segundo Distrito, não vê a necessidade de instalar três quebra-molas com cerca de 50 metros de distância entre eles. Fernando afirma que somente de um lado da via há residência, já que do outro, existe vegetação.

- O local é mal iluminado e a sinalização horizontal está falha. A noite é pior ainda, já que as lâmpadas são precárias, e como uma das placas é bem embaixo do quebra-mola, a freada é muito brusca.  Para motociclista é muito ruim. Uma campanha de prevenção de acidentes com placas de aviso para reduzir a velocidade seria muito mais eficaz – disse o leitor.

Já a comerciante Márcia dos Santos, que mora há mais de dez anos no local, a iniciativa de pôr o redutor foi de extrema urgência devido às inúmeras batidas, com mortes, naquele trecho.

- Somente há cerca de dez dias que a prefeitura instalou os quebra-molas, logo depois de um acidente que matou uma pessoa – conta Márcia.

A moradora diz ainda que os motoristas que trafegam pela via em alta velocidade pela curva, que é muito acentuada, não contavam com nenhum mecanismo que os fizessem reduzir a aceleração.

- Meu muro está caído assim com a placa que alertava sobre a redução da velocidade, mas muitos motoristas não respeitavam e causavam muitas batidas. Para nós, moradores, não poderia ter havido melhor decisão – completa a comerciante.

No fim de agosto, moradores reclamaram pelo Wathsapp da Folha, da falta de segurança da estrada. Segundo eles, a estrada, que foi construída há cerca de um ano, já contabiliza cerca de dez acidentes envolvendo veículos que trafegam pelo local. Uma das principais queixas dos usuários de ônibus, na época, era com relação à parada dos coletivos, que era feita em uma curva, o que aumentava ainda mais os riscos de colisões.