Assine Já
domingo, 15 de dezembro de 2019
Região dos Lagos
29ºmax
21ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
crise

Crise política em Búzios pode provocar colapsos nos serviços públicos

Prefeito e vereadores não se entendem

02 julho 2014 - 15h55
 
Crise política em Búzios pode provocar colapsos nos serviços públicos

Os serviços públicos em Armação dos Búzios correm o risco de entrar em colapso a qualquer momento. Sem dotação, o prefeito André Granado (PSC) não está pagando prestadores de serviços e fornecedores. A situação é provocada pelo impasse político entre o prefeito e os vereadores, que, até agora, não aprovaram nenhum dos seis pedidos de remanejamento de verbas feitos por André Granado.

Em meio a tudo isso, o vereador Felipe Lopes (PDT) tenta, de todas as formas, instalar a ingovernabilidade de André Granado. O anunciado pedido de impeachment que seria feito na sessão da manhã de ontem não aconteceu; ao contrário, Felipe Lopes foi ameaçado pelo líder do governo, Uriel da Costa Pereira (PSC), de ser denunciado por falta de decoro parlamentar.

Na sessão de ontem, o plenário Emigdio Gonçalves Coutinho virou um circo. Pelo menos 100 pessoas acompanharam o trabalho dos vereadores, que, a todo instante, foram interrompidos com gritos e vaias. Alguns manifestantes exibiram cartazes criticando ou defendendo o governo de André Granado. O presidente Leandro Pereira (PSDB) chegou a ameaçar pedir a presença de força policial.

Toda a crise tem como origem a previsão orçamentária deste ano. A Câmara aprovou orçamento de R$ 210 milhões, mas, se forem considerados os anexos, chega a R$250 milhões. Vereadores sustentam que estes anexos não foram enviados para a apreciação legislativa. O conserto técnico da questão, no entanto, virou briga de vaidades e, agora, ninguém se entende, sequer para aprovar os habituais pedidos de remanejamento de verbas sempre feitos pelo Executivo.