Assine Já
terça, 14 de julho de 2020
Região dos Lagos
23ºmax
15ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 310 Confirmados: 3455 Óbitos: 200
Suspeitos: 310 Confirmados: 3455 Óbitos: 200
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 279 8
Arraial do Cabo 9 88 11
Cabo Frio X 1037 64
Iguaba Grande 14 257 20
São Pedro da Aldeia 4 537 20
Saquarema 9 599 35
Últimas notícias sobre a COVID-19
eleições

Votação no Jardim Esperança é marcada por tranquilidade, sujeira e irregularidades

Eleitores reclamaram de desorganização e de longa espera para votar

05 outubro 2014 - 13h52
Votação no Jardim Esperança é marcada por tranquilidade, sujeira e irregularidades

Um dos bairros com maior contingente populacional e crucial para as pretensões dos candidatos da região, o Jardim Esperança vive uma votação onde, se por um lado, não foram registrados incidentes graves, por outro imperam a sujeira e a ilegalidade. Próximo a diversos locais que abrigam seções foi possível ver uma grande quantidade de 'santinho's jogados no chão. Além disso, apesar da probição da Justiça Eleitoral, a fiscalização está falha e é possível ver inúmeras placas de propaganda e carros com adesivos de diversos candidatos. 

- Essa eleição tá uma imundície. Candidato que se comporta assim comigo não tem vez - disparou Maria Neves, 40, ao apontar para uma amiga a sujeira em frente à Escola Municipal Talita Hernandes Perelló.

Na Rua Ézio Cardoso da Fonseca, a principal do bairro, com o movimento dos carros, os papeis subiam e muitos já se depositavam em bueiros. Enquanto isso, dentro das zonas eleitorais, as queixas se referiam basicamente a uma suposta desorganização e a longa espera para votar. Segundo muitos eleitores, faltavam funcionários para dar informações.

- Estou aguardando uns 20 minutos já. Isso aqui tá uma bagunça. Primeiro a gente tem que entrar numa fila pra conferir qual a nossa seção para depois entrar na daquela seção que a gente vai votar. Isso é que dá botar pessoas sem experiência na função para fazer o trabalho -  criticou Luís Gustavo Pereira, 27, enquanto aguardava para entrar na 93ª seção, alojada em uma das salas do colégio.