Assine Já
quinta, 21 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
taxa

Votação da Taxa de Lixo é adiada na Câmara de Cabo Frio

Vereadores querem mais tempo para analisar proposta 

31 outubro 2014 - 16h14Por Sergio Meirelles

O polêmico projeto de lei do prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa, que cria a Taxa de Coleta, Remoção e Destinação do Lixo (TCL) não foi votado ontem na Câmara Municipal como estava previsto. Diante da insistência de alguns vereadores que não queriam votar a matéria antes de analisá-la, o presidente da Casa, vereador Marcelo Corrêa (PP), decidiu retirar o regime de urgência da votação e encaminhar o projeto à Comissão de Constituição e Justiça.

O Projeto de Lei Complementar nº 03/2014 enviado à Câmara Municipal pelo prefeito Alair Corrêa prevê a extinção da Taxa de Serviços Urbanos (TSU), hoje em vigor, e a criação da TCL. Os defensores da proposta dizem que o prefeito não está criando um novo tributo e sim regulamentando o que já existe. Eles afirmam ainda que o contribuinte não terá que pagar um centavo a mais do que já paga hoje. A TSU equivale a 10% do valor do Imposto Territorial e Predial Urbano (IPTU).

– A taxa já é cobrada do contribuinte. Este projeto apenas irá regulamentá-la – disse o vereador Marcelo Corrêa, um dos defensores do projeto de lei.

Mas nem todos os parlamentares ficaram convencidos com as explicações. O vereador Aquiles Barreto (SD), um dos primeiros a se posicionar contra a votação de urgência do projeto, disse que gostaria que a matéria fosse analisada com mais calma pela Câmara.

– Sou contra a votação em regime de urgência desse projeto. Precisamos ter a certeza de que o contribuinte não será penalizado com mais um tributo – posicionou-se Barreto em seu discurso.

Momentos antes do início da sessão, os poucos vereadores que se encontravam na Câmara se reuniram a portas fechadas com o vereador Marcelo Corrêa. Aqui-les Barreto e Adriano Moreno (PP) teriam dito ao presidente da Câmara que eram contra a votação porque a redação do projeto de lei não trazia a tabela de cálculo do tributo. Ou seja, não estava definido quanto seria o valor da TCL e como seria cobrado.

_ O prefeito não especificou como será cobrada essa nova taxa. Temos que ter o cuidado de não tomarmos decisões apressadas e acabar prejudicando os contribuintes mais carentes _ alertou Adriano Moreno.

 Na próxima segunda-feira, os vereadores irão se reunir novamente na Câmara para decidir o destino do projeto de lei do prefeito Alair Corrêa. Dependendo do que for conversado entre eles, o projeto poderá entrar em pauta de votação a qualquer momento ou poderá tramitar pelas comissões, o que levaria ao menos dois meses para que ele fosse votado.