Assine Já
terça, 03 de agosto de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
14ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46523 Óbitos: 1889
Confirmados Óbitos
Araruama 11454 362
Armação dos Búzios 5517 58
Arraial do Cabo 1588 87
Cabo Frio 12706 765
Iguaba Grande 4804 116
São Pedro da Aldeia 6205 275
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Vigilância em Saúde Ambiental de Cabo Frio recebe carro fumacê

Guarani, Praia do Siqueira e Palmeiras serão os primeiros bairros a receber o serviço

08 maio 2019 - 09h35
Vigilância em Saúde Ambiental de Cabo Frio recebe carro fumacê

Agentes de Combate aos Vetores vão receber hoje uma capacitação para operar o carro fumacê e o manuseio do inseticida preconizado pelo Ministério da Saúde. O treinamento terá duração de três horas e vai acontecer no Hospital Dia, em São Cristóvão.

Logo após a capacitação, a população de Cabo Frio volta a dispor de um carro fumacê para aplicação de inseticida contra o mosquito Aedes aegypti. O veículo foi cedido ao município pelo Ministério da Saúde por tempo indeterminado e passará pelos bairros borrifando o inseticida nas localidades onde foi constatado um aumento de casos suspeitos e notificados de Dengue, Zika e Chikungunya pelo serviço de Saúde.

Os primeiros bairros contemplados serão Guarani, Palmeiras e Praia do Siqueira, das 17h30 até 20h30, lembrando que na sequência todos os bairros serão atendidos. A ação será realizada atendendo a solicitação dos moradores em razão do aumento do número de notificações das doenças, segundo dados da Secretaria de Saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta que a população deixe portas e janelas abertas quando o veículo do fumacê passar pela rua. Assim, as gotículas do inseticida chegarão até o interior da residência, onde normalmente o Aedes aegypti se abriga.

A aplicação do fumacê não é feita de forma indiscriminada. Por ser um produto químico, ele só é utilizado em períodos epidemiológicos específicos da doença, respeitando os intervalos de aplicação, de modo que a saúde da população não seja colocada em risco. 

Segundo a coordenadora de Vigilância em Saúde Ambiental,  Andreia Nogueira, as ações de combate ao mosquito não se restringem apenas à aplicação do inseticida.