Assine Já
terça, 04 de agosto de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
13ºmin
Mercado Tropical
Alerj
TEMPO REAL Confirmados: 4545 Óbitos: 259
Confirmados Óbitos
Araruama 718 47
Armação dos Búzios 354 9
Arraial do Cabo 120 12
Cabo Frio 1480 86
Iguaba Grande 334 23
São Pedro da Aldeia 720 32
Saquarema 819 50
Últimas notícias sobre a COVID-19
André Granado

Câmara de Búzios pode alterar lei em favor de Granado

Comissões analisam mudança na lei orgânica

29 maio 2014 - 10h35
A crise política provocada pela viagem do prefeito de Armação dos Búzios, André Granado (PSC), à Europa está longe de ter um fim. E, ao que tudo indica, novos capítulos podem estar por vir, mais uma vez com o aval dos vereadores, responsáveis por aprovar o decreto que permitiu a Granado governar do exterior, sem dar posse ao vice, Carlos Alberto Muniz.
Segundo o presidente da Câmara, Leandro Pereira (PSDB), uma matéria que alteraria o artigo 78 da Lei Orgânica, que prevê o impedimento  do exercício da prefeitura por mais de 15 dias sem autorização prévia do Legislativo, chegou a ser apresentada pelo líder do Governo, Uriel da Costa (PSC), mas foi  retirada da pauta pela má receptividade de alguns colegas e pelo momento político conturbado.
Entretanto, ele disse que o texto passará pelas comissões da Casa, podendo ser novamente apresentado em breve. Apesar do cenário desfavorável, a aposta é na conciliação entre os antigos companheiros de chapa.
– Quando o prefeito chegar, ele e o vice vão sentar e buscar o entendimento em prol da cidade e do povo buziano – acredita.
Quanto à responsabilidade da Câmara para a crise e as suas consequências, o presidente admite que ‘a situação não é boa’, mas que apenas seguiu o regimento.
– Chegou a mensagem do Executivo e tive que colocar a ma-téria em pauta. Ela foi na íntegra para que o plenário decidisse, e assim foi feito. Como presidente, não posso induzir o voto dos demais vereadores – argumenta.
Responsável por um dos cinco votos que permitiram a aprovação do decreto, o vereador Lorram da Silveira (PDT) admitiu ter ‘cometido um erro’, mas acredita que todo o imbróglio jurídico que se seguiu foi fruto de interpretação equivocada.
– O que votamos foi o artigo  segundo do projeto  que originou o decreto, sem prejuízo para o vice assumir, mas a interpretação foi que ele não podia. Não entendo assim. A decisão serviria apenas para que Granado pudesse assinar convênios e parceria para a cidade – afirma.
O vereador Uriel da Costa está viajando e não foi encontrado para comentar o assunto.
População irritada – Enquanto as autoridades não se entendem, a população se irrita e não economiza nas críticas.
– Entra prefeito, sai prefeito, não tem melhora. O hospital está uma vergonha. Sendo ele ou o vice, não vejo diferença – dispara  o autônomo Reginaldo Santana.
O gerente de vendas Walmir Magalhães, 56, não foi menos contundente.
– Crise já vem de muito tempo. É um querendo ser mais que o outro. Essa é uma cidade turística em que não vejo nada – diz.