Assine Já
quinta, 16 de julho de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
13ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 3553 Óbitos: 207
Confirmados Óbitos
Araruama 671 42
Armação dos Búzios 288 8
Arraial do Cabo 88 11
Cabo Frio 1067 66
Iguaba Grande 257 20
São Pedro da Aldeia 565 21
Saquarema 617 39
Últimas notícias sobre a COVID-19
Vereador

Vereador quer proibir Uber em Cabo Frio

Projeto foi encaminhado para Comissão de Constituição e Justiça

05 janeiro 2017 - 23h25
Vereador quer proibir Uber em Cabo Frio

O vereador Vanderlei Bento (PMB) quer proibir o Uber de circular em Cabo Frio. A proposta, polêmica, foi encaminhada para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) durante a sessão da manhã de ontem da Câma­ra de Cabo Frio. Outros projetos que foram para a comissão são a auditoria nas contas do governo Alair Corrêa e a prioridade para pagamento dos atra­sados dos servidores públicos.

Segundo Vanderlei, o objetivo da medida é proteger os taxistas e os próprios motoristas do Uber. Vanderlei alega que as empre­sas apenas lucram sem recolher im­postos para a cidade.

– Eu acho que colocar não sei quantos mil carros nas ruas não vai ficar economicamente viável para ninguém. Nem para o Uber, nem para os taxistas. O Uber também não dá direitos trabalhistas. A pessoas às vezes trabalha 16, 18 horas sem re­ceber horas extras – alega Vanderlei.

Em nota enviada à Folha, o Uber afirmou que por diversas vezes os tribunais brasileiros afastaram as tentativas de proibição do aplicativo, confirmando a legalidade das ativi­dades da empresa e dos motoristas parceiros e garantindo o direito de escolha da população.

Guilherme Moreira (PPS), pre­sidente da CCJ, garantiu que este projeto e outros que foram enviados à comissão – auditoria de Alair e prioridade aos servidores, ambos de Rafael Peçanha (PDT) – serão trami­tados dentro do tempo determinado.

– A celeridade será completamen­te honrada. O que estamos vendo na cidade é um povo insatisfeito e com razão, mas não podemos passar por cima das leis. E as leis requerem 15 dias de apuração até para que não haja nenhum erro e o povo sofra – argumenta Moreira.