Assine Já
sexta, 18 de setembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7483 Óbitos: 397
Confirmados Óbitos
Araruama 1452 99
Armação dos Búzios 466 10
Arraial do Cabo 201 13
Cabo Frio 2467 130
Iguaba Grande 622 34
São Pedro da Aldeia 1153 50
Saquarema 1122 61
Últimas notícias sobre a COVID-19
supersalários

Vereador denuncia pagamento de salários de até R$ 130 mil a servidora

Rafael Peçanha vai ao MP e cobra prefeitura, que afirma ter aberto sindicância

02 novembro 2017 - 08h41Por Rodrigo Branco | Reprodução
Vereador denuncia pagamento de salários de até R$ 130 mil a servidora

O vereador Rafael Peçanha (PDT) vai aguardar até o começo da próxima semana por explicações da prefeitura quanto a uma denúncia de supersalários pagos a uma servidora, feita por ele na sessão da Câmara desta terça-feira. Ao mesmo tempo, o parlamen- tar já adiantou que vai entrar com uma representação para que o Ministério Público apure o caso. Segundo Peçanha, a funcionária, que teve a identidade e locação preservadas, acumulou cargos e gratificações nos últimos cinco anos. Em junho de 2016, a servidora chegou a receber R$ 130 mil, de acordo com um documento a que teve acesso por meio do Sindicato dos Servidores de Cabo Frio (Sindicaf). Peçanha quer saber se é um fato isolado ou se existem outros na mesma situação.

– Como o caso é muito grave, vou cobrar uma resposta imediata. Não vou tolerar uma ausência de resposta até segunda-feira. Hoje (ontem) é dia útil e segunda é dia útil. Não era nem para fazer ofício, era pra chegar lá e ter acesso por prerrogativa de fiscalização. Então é para ontem – cobra Peçanha.

Além do valor dos vencimentos e do acúmulo ilegal de funções, chamou a atenção do vereador a alta rotatividade da funcionária. De acordo com o levantamento feito por ele, entre 2012 e 2017, a servidora foi nomeada para novos cargos, em média, a cada dois meses. Como se não bastasse, devido ao acúmulo de cargos, houve o recebimento de até seis tipos diferentes de benefícios. Em dezembro de 2013, por exemplo, ela acumulava cinco cargos e recebeu seis tipos de gratificações diferentes.

– Todos os sindicatos entrarão com representação junto comigo. Mas não vamos ao MP contra o setor de Recursos Humanos. Vamos pedir esclarecimentos.

Sindicância – Ao ser questionada pela reportagem, a prefeitura manifestou-se sobre ao assunto por meio de nota. Segundo a administração municipal, “durante o recadastramento de funcionários, realizado nos meses de maio e junho, foram encontrados indícios de não conformidades referentes ao pagamento de salários de servidores a partir do ano 2013 em diante”.

Por conta destes indícios, uma sindicância foi aberta pela Secretaria de Administração “para devida apuração dos fatos”. A sindicância “está em andamento e poderá resultar em um Inquérito Administrativo”. Até o momento, seis servidores foram afastados e poderão exercer o amplo direito de defesa. Caso as irregularidades sejam comprovadas, o Inquérito será remetido à Controladoria Geral do Município para a realização de uma Tomada de Contas, procedimento necessário para apuração dos valores que possam ter sido subtraídos de forma irregular.

Após ser concluída, a Tomada de Contas deve ser enviada para os órgãos de controle competentes, notadamente o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) e o Ministério Público Estadual (MPRJ) para a responsabilização dos envolvidos. Por fim, a prefeitura informou ainda que, “desde o início da atual gestão, foram abertos 29 procedimentos de Tomada de Contas para apuração de diversas irregularidades encontradas no período anterior. Destas, 25 foram concluídas e encaminhadas para os órgãos competentes. O montante utilizado de forma irregular na gestão anterior de acordo com os levantamentos já concluídos é de R$ 112,7 milhões”, encerra a nota.