Advertisement
Assine Já
quarta, 05 de outubro de 2022
Região dos Lagos
26ºmax
19ºmin
Revolta do cachimbo
Revolta do Cachimbo
TRANSPORTE PÚBLICO

Tribunal de Contas do Estado determina que Araruama faça licitação para ônibus em 180 dias

Apesar de ter tido contrato declarado nulo e ilegal, empresa continua a prestar serviço há mais de 20 anos

22 setembro 2022 - 10h43Por Redação

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) emitiu determinação à Prefeitura de Araruama para que seja realizado, no prazo máximo de 180 dias, um procedimento licitatório para o transporte de passageiros via ônibus na cidade. Desde 1999, o serviço vem sendo prestado pela mesma empresa, apesar de o último contrato de concessão ter sido declarado nulo por decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) e ilegal por deliberação do TCE-RJ em sessão plenária de julho de 2020. Datado de 2013, o documento estabelecia a concessão por 15 anos, com exclusividade, pelo valor de R$ 157,3 milhões.

O TCE anunciou que uma auditoria governamental extraordinária constatou que o município não realizou licitação para a concessão dos serviços de transporte público, em descumprimento a decisões do TCE-RJ e do TJ-RJ, embora um novo processo licitatório tenha sido iniciado em 2019 e descontinuado sem justificativa. Outra irregularidade encontrada foi o descumprimento de diversas cláusulas do contrato de 2013, assim como a não observância de normas legais, tanto por parte da concessionária, quanto por parte do poder concedente. 

Segundo o Tribunal, a contratada oferece quantidades de ônibus e linhas em operação inferiores às previstas na concessão. O município não realizou também qualquer tipo de revisão contratual mesmo diante de diversos fatores que indicavam essa necessidade, como a ausência de estudos efetivos para o edital de 2013 e a deficiência nos reajustes tarifários. 

O acórdão, referente a processo de relatoria do conselheiro-presidente do TCE-RJ, Rodrigo Melo do Nascimento, e proferido na sessão plenária do último dia 14, prevê multa diária de R$ 4 mil à atual prefeita em caso de descumprimento do prazo de 180 dias para realização de nova licitação. Também foram notificados a secretária de Transportes da cidade, um ex-prefeito e três ex-secretários. Eles têm prazo de 15 dias para apresentarem suas razões de defesa quanto às irregularidades. O acórdão determina ainda o monitoramento da situação para o ano que vem.   

Em nota, a Prefeitura informou que este processo foi feito por gestão anterior e que a atual gestão providenciou a abertura de nova licitação, mas logo em seguida a 2ª instância do Tribunal de Justiça determinou a suspensão dessa nova licitação ; o que foi cumprido pelo município. O texto diz ainda que, tendo em vista agora a recomendação do Tribunal de Contas que aconteceu essa semana, o município já tomou providências no sentido de reabrir o processo licitatório. Com relação aos problemas citados pelo TCE em relação à prestação de serviços; a Prefeitura informou que notificou a empresa na época, e esses serviços se encontram regularizados no momento.

Procurado, o Grupo Salineira, atual concessionária de transporte no município, informou que a Viação Montes Brancos cumprirá o que for determinado pela Justiça e o poder concedente.

(*) Matéria atualizada às 12h01.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.