Assine Já
sábado, 23 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Superintendência de Políticas Públicas LGBTQ+ cria balcão de empregos

A intenção é fomentar a contratação inclusiva e reduzir o preconceito no ambiente de trabalho

10 outubro 2019 - 16h54
Superintendência de Políticas Públicas LGBTQ+ cria balcão de empregos

A população LGBTI+ de Cabo Frio terá oportunidade de buscar qualificação e disputar vagas de emprego, disponíveis no mercado de trabalho cabo-friense, através do balcão de empregos recém-criado pela Superintendência de Políticas Públicas LGBTQ+.

Os interessados devem preencher um cadastro no link: (https://bit.ly/2MtRE1P) e logo após recebem um material específico com orientações para a construção de um bom currículo, como se preparar e se portar em entrevistas de emprego e como se manter no mercado de trabalho. O cadastro do candidato é enviado à um grupo de divulgação e fica disponível para os empresários, que também receberão treinamentos dentro de temas como direito do trabalhador LGTBI+ e a importância da contratação inclusiva.

O superintendente de Políticas Públicas LGTQ+, Matheus Cardoso, explica que esse é um primeiro momento do programa, que em breve contará com ações específicas como palestras e seminários sobre empregabilidade, mercado de trabalho e direito do trabalhador.

“Depois de implementado e em ação, poderemos expandir o programa com cursos profissionalizantes em parceria com outros programas e instituições”, explicou.

O atendimento acontece, em um primeiro momento, de forma on-line e a intenção é fomentar a contratação inclusiva, reduzir o preconceito no ambiente de trabalho e trabalhar a empregabilidade uma forma geral voltada para a temática LGBTI+.

Segundo o supervisor de Participação Social da Superintendência, não é nenhuma novidade que os LGBTI+ sofram com a discriminação e o preconceito no mercado de trabalho.

“Com o aumento da homofobia no Brasil, vemos pessoas LGBTs capacitadas que não tem oportunidades de empregos ou até perdem o emprego por terem chefes preconceituosos. O intuito da criação dessa nova ferramenta é tornar o mercado de trabalho mais aberto para novos profissionais LGBTI+ e que, por muitas vezes, perdem oportunidades de trabalho por causa da LGBTFobia”, comentou Flávio Barreto.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.