Assine Já
sexta, 25 de setembro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8032 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1614 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 241 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1309 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Lei do Silêncio

Som está liberado, mas estabelecimentos terão que respeitar limites

Reunião na Prefeitura envolveu segmentos interessados no polêmico assunto

02 novembro 2016 - 07h32Por Texto e foto: Gabriel Tinoco
Som está liberado, mas estabelecimentos terão que respeitar limites

Após o choque de ordem imposto pelo governo de Cabo Frio, diversos segmentos discutiram ontem a poluição sonora na cidade. O encontro, que aconteceu no auditório da prefeitura, na tarde de ontem, teve reclamações de moradores relacionadas ao alto volume e ajuda aos comerciantes para se adequarem à norma. O secretário de Ordem Pública, Jailton Nogueira, abrirá um processo administrativo para apurar as irregularidades.

O secretário também ressaltou que a proibição da música ao vivo no último fim de semana foi justamente para chamar a atenção ao tema. Os músicos, portanto, estão liberados novamente para tocar na cidade, contanto que respeitem as normas.

Jailton também afirmou que o governo se prontifica a atender os empresários que querem se regulariazar – a secretaria, segundo ele, disponibiliza até profissionais de contenção de som.

O encontro reuniu o secretário de meio-ambiente, Jailton Nogueira, a promotora Carolina Gurgel, o comandante do 25 BPM, André Henrique de Oliveira e o presidente da Associação Comercial, Eduardo Rosa.

– O objetivo da gente jamais é impedir que as pessoas trabalhem. O objetivo é que trabalhem dentro da norma legal – garantiu Jailton.

A promotora Carolina Gurgel salientou a alta quantidade de denúncias.

– Estamos aqui tratando de lei. Ninguém está criando nada novo. Queremos apenas o cumprimento desta norma. O Ministério Público tomou a medida e, agora, cabe fiscalização da Prefeitura. Recebo quase diariamente denúncias de poluição sonora – disse.

O comandante do 25º BPM, André Henrique Oliveira, pediu uma maior colaboração da população.

– A Polícia Militar acaba tendo o contato direto nesses casos. Somos bem demandados por conta disso. Inclusive toma muito tempo do nosso pessoal. Poderíamos resolver uma série de ocorrências enquanto resolvemos poluição sonora.

A diretora do Rui Barbosa, Marcia Marques, está inconformada com o desrespeito à lei na Rua Meira Júnior, no Centro.

– Tem baile funk à noite inteira. Já teve fim de semana em que nós, moradores, ficamos acordados até às 9h. Os carros de som colocam a música nas nossas janelas. A Polícia passa, o som é desligado. A Polícia sai e o som retorna pela madrugada. Ninguém quer alugar e nem comprar nossos apartamentos – desabafa.

Leia também:

Lei do Silêncio em estabelecimentos de Cabo Frio irrita músicos