Assine Já
domingo, 17 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
Cabo Frio

​Sociólogo presta queixa contra comentário homofóbico na página da Prefeitura de Cabo Frio

Homem comentou que ‘estava liberada a caça por snipers’ em postagem sobre Parada LGBT

09 setembro 2019 - 19h33Por Rodrigo Branco
​Sociólogo presta queixa contra comentário homofóbico na página da Prefeitura de Cabo Frio

O sociólogo Márcio Paixão, de 30 anos, prestou queixa ontem na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), no Centro do Rio, contra um homem que fez comentário considerado homofóbico em postagem na página da Prefeitura de Cabo Frio sobre a Parada LGBT, realizada na Praia do Forte, no último domingo.


O comentário, depois apagado em função da repercussão negativa, dizia que “a caça estava liberada para os ‘snipers’ (atiradores de elite da polícia)” durante o evento promovido pelo Grupo Iguais, de Cabo Frio, com apoio da Superintendência Municipal LGBT. Márcio adiantou ainda que vai entrar, em breve, com um processo contra o autor do comentário, baseado na recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de criminalizar a homofobia, colocando a prática no mesmo patamar do racismo.


– Quero tornar essa ação pública como um instrumento político, para que a sociedade revisite seus preconceitos tendo consciência de que suas ações podem sim sofrer penalizações jurídicas – disse o cabofriense Márcio, que faz mestrado em Sociologia e Antropologia na UFRJ e, portanto, mora no Rio. 


O sociólogo admite que a sua atitude isoladamente não vai resolver o problema da homofobia, mas disse que não poderia abrir mão de tomar alguma atitude. 


– É óbvio que tenho consciência que esse é um problema estrutural que precisa de uma série de outras ações institucionais para sanar esse problema; como uma educação que inclua as questões de identidade de gênero nas salas de aula, por exemplo. Mas não posso abrir mão dos instrumentos jurídicos para resguardar a mim e a todo grupo LGBTQI+. Eles existem e são fruto de muita luta e resistência. Por isso fui à delegacia de crimes raciais e intolerância – disse.


Pelo Facebook, o presidente do Grupo Iguais, Rodolpho Campbell, repudiou o episódio e disse que vai hoje de manhã na delegacia de Cabo Frio (126ª DP), para registrar um boletim de ocorrência em relação aos comentários ofensivos feitos sobre a Parada LGBT.
– Esse comentário foi muito pesado. Ridículo.  Isso não pode ficar impune de maneira nenhuma – disse o presidente do Grupo Iguais de Cabo Frio.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698. *Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.