Assine Já
segunda, 28 de setembro de 2020
Região dos Lagos
35ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8312 Óbitos: 427
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 491 10
Arraial do Cabo 252 15
Cabo Frio 2757 145
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1180 68
Últimas notícias sobre a COVID-19
resposta

Sindicalistas atacados por Alair em entrevista rebatem acusações

Diretora do Sepe diz que ser criticada pelo prefeito é 'elogio': "Não sou igual a ele"

08 julho 2016 - 09h50Por Rodrigo Branco

Os ataques feitos pelo prefeito Alair Corrêa a representantes sindicais durante entrevista concedida ao comunicador Amaury Valério no seu programa de rádio na quarta (6) não passaram em brancas nuvens.

Principal alvo das críticas do prefeito, a diretora de imprensa do Sindicato dos Profissionais de Educação, Denise Teixeira, esteve ontem na emissora para direito de resposta. Chamada por Alair de ‘má’ e ‘desonesta’ e acusada de receber sem trabalhar, Denise também comentou à Folha sobre as declarações do prefeito e carregou nas tintas.

– O que o prefeito fala de mim são tantas mentiras que uma mais ou uma a menos não me causa o menor espanto. Aliás ser apedrejada pelo prefeito da cidade é um elogio. Sinal de que eu não sou igual a ele. Todo mundo sabe o quanto eu trabalho. Na verdade eu trabalho muito mais do que eu deveria porque eu tenho licença sindical da prefeitura. Todo mundo que chega no sindicato me vê lá – se defendeu a dirigente do Sepe, apresentando ainda o contracheque, com o salário líquido de aproximadamente R$ 2 mil mensais.

Também citado nas respostas do prefeito, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Cabo Frio, Olney Vianna, abusou da ironia para desmentir o prefeito, que afirmou que o sindicalista “ganha R$ 7 mil para ficar 25 anos sem trabalhar.” Ele também rechaçou a alegação de Alair que falta dinheiro para pagar os funcionários.

– Ele está perdidinho e mentindo cada vez mais. Olhando os dados do Portal da Transparência de abril e maio dá pra notar que houve uma sobra no caixa de R$ 34 milhões, diferente do que ele alega que arrecada R$ 32 milhões e paga R$ 37 milhões. Das duas uma, ou ele mente dizendo isso ou a secretaria de Fazenda mente para o Tribunal de Contas, que são esses dados do Portal – afirmou, completando.

– O sindicato foi fundado em 1998, mas como ele (Alair ) não fazia o repasse das mensalidade, só comecei efetivamente em 2005. Sou concursado da prefeitura há 39 anos e ganho R$ 4 mil líquidos. Com esse valor, desde 1986, moro do outro lado da ponte. Ele é que deveria explicar como recebendo R$ 14 mil por mês e sem nunca ter trabalhado, apenas pendurado em cargos públicos, mora em uma cobertura avaliada em, no mínimo, R$ 15 milhões – disparou.

O presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sind Saúde), Gelcimar Almeida, o Mazinho, admite que não ouviu a entrevista, mas que foi informado sobre o seu conteúdo. Ele questionou a declaração que coletores e guardas municipais não devem ter os salários atrasados.

– Não se trata de achar que eles não devem receber e sim que todos os servidores recebam ao mesmo tempo, até o quinto dia útil. Se fosse assim, Saúde deveria ser prioridade, por se tratar de salvar vidas – defende.