Assine Já
quinta, 09 de julho de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
TEMPO REAL Suspeitos: 301 Confirmados: 3282 Óbitos: 191
Suspeitos: 301 Confirmados: 3282 Óbitos: 191
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 270 654 41
Armação dos Búzios X 266 7
Arraial do Cabo 9 83 11
Cabo Frio X 1016 62
Iguaba Grande 13 218 20
São Pedro da Aldeia 2 517 19
Saquarema 7 528 31
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Setor de hotelaria da Região dos Lagos otimista com Réveillon

Cabo Frio e Arraial do Cabo estimam 95% de ocupação neste fim de ano

17 dezembro 2015 - 09h38Por Nicia Carvalho

Pelo menos para a hotelaria de duas das principais cidades turísticas da Região dos Lagos, o Ano Novo será, no mínimo, igual ao que passou. É o que es­timam associações do segmen­to em Cabo Frio e Arraial do Cabo. Elase esperam ocupação de 95% para as festas de fim de ano, mesmo índice alcançado no ano passado. Em ambas, as re­servas estão quase todas esgota­das, apesar da crise nacional que afeta o país este ano. Na melhor projeção, 2015 pode superar a última temporada.

– Mesmo com crise, as pesso­as se programam para viajar, es­pecialmente nesta época. A de­manda está muito alta e acredito que os hotéis ficarão lotados, mas o levantamento oficial só sai na semana que vem – anteci­pou Carlos Cunha, presidente da Associação de Hotéis de Cabo Frio (AHCF).

De acordo com Cunha, as projeções para janeiro também são positivas e a expectativa é de que o desempenho de 2014 se repita. A ocupação deve oscilar entre 80% a 90% para a primeira quinzena. Carlos explicou ain­da que, para o restante do mês, as reservas ainda estão tímidas, mas que a tendência é aumentar após o Ano Novo. Segundo ele, o otimismo se justifica porque a hotelaria registrou 85% de ocu­pação média, com pico de 95% nos fins de semana, no ano pas­sado. Para ele, isso deve se re­petir este ano, já os hotéis não repassaram os reajustes de água e luz feitos pelo governo federal para os valores das tarifas.

– A medida foi uma forma de atrair o cliente. Então, a ocupa­ção será a mesma, apesar do lu­cro menor – completou.

Em Arraial, o otimismo tam­bém bate à porta e se reflete in­clusive no número de leitos ofer­tados: este ano pulou de 1.500 para 3.500.

– Quase não temos leitos li­vres para o fim de ano e também para janeiro. A procura está mui­to boa, e alguns hoteleiros não tem vagas. Mesmo aumentando a quantidade de leitos, a procura também cresceu – explicou Mar­co Simas, secretário de Turismo.