Assine Já
domingo, 20 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
cortejo funebre

Servidores realizam cortejo fúnebre de prefeito e vereadores

Avenida Assunção, sentido Itajuru, está fechada

22 setembro 2016 - 10h47Por Rodrigo Branco
Servidores realizam cortejo fúnebre de prefeito e vereadores

Em uma cidade onde para sepultar os mortos nos últimos tempos, em algumas ocasiões, foi preciso fechar vias públicas, um funeral, ainda que simbólico, é um acontecimento. A prova disso foi que o enterro simbólico do prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa (PP) e dos vereadores da cidade parou o Centro por mais de uma hora na manhã de ontem. Com o fechamento de trecho da Avenida Assunção e das ruas próximas, os reflexos foram logo sentidos no trânsito do restante da cidade.

Em tom bem humorado, mas crítico, o protesto organizado por organizações sindicais de servidores municipais teve a participação de centenas de pessoas, muitas delas estudantes da rede municipal de ensino e pais de alunos que cobravam solução para a falta de aulas e para os demais problemas na rede. No trajeto, muitas pessoas filmavam e outras tantas apoiavam a manifestação com palmas.

Atendendo à convocação feita nas redes sociais nos dias anteriores ao protesto, os participantes foram vestidos de preto, alguns com objetos e adereços normalmente usados em velórios, como velas e terços. Os gritos e cânticos geralmente direcionados apenas ao prefeito desta vez foram divididos com os parlamentares cabofrienses. Nenhum dos 17 vereadores foi poupado das cobranças e críticas. Pelo contrário, todos tiveram as fotos e nomes colados em pranchas de madeira que simbolizavam caixões.

Além das faixas e cartazes de praxe, o ‘cortejo fúnebre’ contou com um caixão de verdade, dentro do qual havia um boneco representando Alair, que foi queimado no fim do protesto, encerrado na Praça Porto Rocha.

De acordo com a diretora de imprensa do Sepe, Denise Teixeira, o protesto, a pouco mais de uma semana das eleições, foi um marco para a categoria.
– Hoje é um basta. A gente precisa mudar e de uma sociedade diferente. A gente precisa que o próximo governante, seja ele quem for, trate a Educação de forma diferenciada – diz a sindicalista.

Apesar da tensão das autoridades, que reforçaram o policiamento, o protesto foi pacífico e não houve incidentes.

(*) Atualizado em 22/09 às 16:35.

 

 

*Fotos: Denize Alvarenga