Assine Já
domingo, 05 de julho de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
15ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 272 585 40
Armação dos Búzios X 256 6
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 954 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 24 465 16
Saquarema 17 484 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
Educação

Servidores municipais fazem greve nesta terça

Outras paralisações de advertência estão marcadas para o próximo dia 29 e para 8 de julho

20 junho 2015 - 15h09
Servidores municipais fazem greve nesta terça

NICIA CARVALHO

Depois das manifestações do judiciário em Arraial, dos guardas municipais de Búzios e dos aprovados no concurso da educação em São Pedro, mais um protesto entra na agenda da Região dos Lagos: a ‘greve de advertência’ promovida pelo movimento unificado dos servidores de Cabo Frio. A primeira acontece na próxima terça-feira, dia 23, a partir das 8h, em frente ao prédio da prefeitura, no final da Avenida Assunção.

Na semana seguinte, a paralisação acontece no dia 29 de junho e a terceira, no dia 8 de julho. Em todas elas, que acontecem no mesmo local e horário, haverá também atividades voltadas para a comunidade com arrecadação de alimentos que serão doados para a Casa René Pessa, sopão da dignidade e doação de sangue para o Hemolagos, respectivamente.

– A mobilização na educação está muito positiva e devemos A paralisação conta ainda com o apoio do Sindicato dos Profissionais de Saúde (SindSaúde), da Associação Municipal de fiscais (AMF), da Associação dos Guardas Municipais e do Sindicato dos Servidores Municipais de Cabo Frio (Sindicaf).
Ao final de cada paralisação, os sindicalistas e as categorias farão assembleia para avaliação do movimento.parar 80% das escolas. A revolta da categoria por não ter recebido o reajuste e por conta de situações como aposentadoria, vale transporte e enquadramento é grande. Já encaminhamos três ofícios e até o momento o prefeito não abre a mesa de negociação – disparou Denise Teixeira, coordenadora do Sindicato dos Profissionais da Educação da Região dos Lagos (Sepe Lagos)