Assine Já
sábado, 26 de setembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Servidores

Servidores entram com ação no MP

Ação afirma que projeto do prefeito fere Lei de Responsabilidade Fiscal

25 novembro 2016 - 00h25

Os servidores da Saúde re­correram ao Ministério Público para impedir a criação de cargos efetivos em Cabo Frio. A ação afirma que o projeto de lei fere a Lei de Responsabilidade Fiscal pela geração de despesas fora do prazo: o artigo 21 determina que gastos não podem ser au­mentados nos 180 dias anterio­res ao fim do mandato.

O projeto de lei criado pelo prefeito Alair Corrêa (PP) está na Comissão de Finanças, Orça­mento e Alienação da Câmara. O PL prevê a criação de 1.199 cargos, o que representaria um aumento de R$ 1.623.456 na fo­lha salarial.

De acordo com o sindicalista Gelcimar Almeida, o Mazinho da Saúde, que entrou com a ação no MP, os servidores não com­preendem as intenções do gover­no com o aumento nas despesas.

 Entramos com a ação por­que é um ato ilegal. Ele (Alair) já não paga quem está em ativi­dade hoje. Ele cria cargos proi­bidos pela lei. O que ele quer com isso? A gente não consegue visualizar o objetivo do governo. Criar essa expectativa nos servi­dores será mais um problema para o próximo governo – dispa­ra Mazinho.

O sindicalista ressalta as pés­simas condições da saúde públi­ca de Cabo Frio enquanto a Pre­feitura cria mais despesas.

– É preciso um investimento para a Saúde a curto prazo para atender a demanda que temos a partir de dezembro. A Saú­de hoje está um caos. Não tem insumos e medicamentos. Não tem condição material para tra­balho – reclama.

A Folha dos Lagos, mais uma vez, entrou em contato com a Prefeitura de Cabo Frio, que não enviou a resposta até o fe­chamento desta edição.